21 de jul de 2014

Serrinha: TSE registra duas novas candidaturas para deputado estadual e federal

Redação Portal Clériston Silva PCS 

Elydir Vitória e Flávio Ferreira
O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) publicou no sistema de registro de candidaturas das eleições os nomes de mais dois políticos de Serrinha que pediram registro para concorrer aos cargos de deputado estadual e federal. De acordo com levantamento do Portal Clériston Silva - PCS, no total, 6 candidatos da cidade devem disputar vagas na Assembleia Legislativa e Câmara Federal. [ver matéria]

Segundo informações do DivulgaCand, sistema do TSE que centraliza as candidaturas, o número maior de candidatos é para o cargo de deputado estadual (4). Para deputado federal, são 2.

A nova atualização do TSE inclui os nomes de Flávio Ferreira, candidato a deputado estadual pela coligação “Juntos Somos Fortes”, e Elydir Vitória, que pleiteia o cargo de deputado federal pela coligação “Unidos Por Uma Bahia Melhor”.

O site do TSE também já disponibiliza a relação dos patrimônios declarados pelos dois novos candidatos e a previsão de gastos na campanha.

Na relação do candidato do PTC, Flávio Ferreira, os bens declarados totalizam em R$ 145.000,00 mil enquanto o limite de gastos da campanha está previsto em R$ 1,5 milhão. Na lista de patrimônios, estão uma casa na Rua Joaquim Hortélio, em Serrinha, no valor de R$ 35.000,00 e um sítio medindo 3 tarefas, localizado no povoado Cajueiro, que custa R$ 50.000,00.

Do PHS, Elydir Vitória declarou R$ 852.589,00 em patrimônios, sendo dois prédios comerciais no valor de R$ 800.000,00, além de um automóvel modelo Pajero, da Mitsubishi, ano 2010, que, segundo a declaração, custaria R$ 25.000,00. O mesmo carro ano 2010 em sites de vendas não custa menos de R$ 60 mil. O limite de gastos da campanha de Elydir ficou em R$ 1,3 milhão.

Os pedidos de candidaturas estão em avaliação pela Justiça Eleitoral. É importante destacar que o DivulgaCand 2014 está sujeito a atualização de dados até o dia da eleição, pois os pedidos de registro ainda serão julgados pelos juízes eleitorais e novas informações devem ser recebidas nos tribunais regionais eleitorais. Após a decisão da Justiça Eleitoral, os candidatos estão aptos a concorrer. Além disso, as coligações podem mudar os candidatos que escolheram.

A entrega do registro não garante a participação do político nas eleições. Após parecer do Ministério Público Eleitoral (MPE), os pedidos são julgados por um juiz eleitoral, que verifica se as formalidades foram cumpridas.

Para estar apto a concorrer às eleições de outubro e ter o registro deferido pela Justiça Eleitoral, além de não se enquadrar na Lei da Ficha Limpa, os candidatos devem apresentar declaração de bens, certidões criminais emitidas pela Justiça, certidão de quitação eleitoral que comprove inexistência de débito de multas aplicadas de forma definitiva, entre outros documentos, como previsto na Lei das Eleições (Lei 9.504/97). 

O primeiro turno do pleito deste ano será em 5 de outubro. O segundo está marcado para o dia 26, nos casos de eleições para governador ou à Presidência da República em que o primeiro colocado não obtiver 51% dos votos válidos, excluídos os brancos e nulos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário