17 de jul de 2014

Amargosa: Bebê via TV no colo do pai quando foi morta: 'ela me dava beijo', lamenta pai

Redação Portal Clériston Silva PCS 

Morador exibe foto da criança que foi morta após ação da polícia

Muito abalado e amparado por amigos, o comerciante Luis Carlos Silva, de 22 anos, chegou por volta das 15h desta quinta-feira (17) para o velório da sua única filha, de só um ano e um mês, morta com um tiro na noite anterior, dentro de casa, na cidade de Amargosa. A menina foi baleada na cabeça enquanto estava nos braços do pai. O crime gerou série de ataques na cidade, resultado em quase 50 veículos e a delegacia local destruídos.

"Eu estava com minha filha no braço, vendo televisão, ela me dando beijo, quando os dois policiais entraram e atiraram. Ela foi baleada no meu colo. Eles nem ligaram para dar socorro, mandaram eu ir para a desgraça", afirma. Segundo ele, os dois policiais entraram na casa e tentaram balear um homem, que teria fugido e invadido a residência momentos antes.

Criança estava com o pai no sofá quando casa foi invadida em Amargosa

"Eles só deram socorro e levaram minha filha para o hospital porque a população chegou em cima. Mas não teve jeito. Ela morreu no hospital mesmo", disse. O sepultamento da menina está marcado para as 16h. A cidade teve reforço de 100 policiais militares 30 civis.

"É muita tristeza, eu fazia tudo por essa menina, todo mundo gostava dela. Quando via gente passando, ela mandava beijo. Não sei porque fizeram isso, sou uma pessoa trabalhadora, tenho um barzinho". Segundo ele, a menina completou um ano e um mês no dia do crime. "É muito triste ver uma coisa pequena daquela, um parente nosso, ser morto daquele jeito. Minha neta era uma boneca, uma coisa linda", acrescenta o avô, Honório Souza.

O crime também foi presenciado pela mãe da criação, que ainda teria tentado conversar com os policiais. "Eles viram minha sobrinha atingida e disseram que estavam acostumados com isso. Minha irmã saiu desesperada de casa, mas eles disseram que a filha deles era mais um", afirma Letícia santos, tia da criança.

"Foi um pesadelo. Estamos traumatizados. Não sei se vamos superar", completa. "A população tocou fogo nos carros porque estava desesperada. Mataram Uma criança amorosa, que todo mundo gostava", afirma a moradora Maria Bíbliana.

População protestou em frente a fórum pedindo Justiça

Protesto - Um grupo de moradores se reuniu em frente ao Fórum da cidade em protesto por causa da criança na noite de quarta-feira (16). Segundo a moradora Consuelo Santana, a população está revoltada e pede providências.

Os ataques destruíram a delegacia da cidade. Carros, motos e ônibus foram incendiados pela população. Durante a ação, 49 veículos foram destruídos.

Para Andressa Santana, que também participa da manifestação, o objetivo é chamar a atenção das autoridades para o caso. Entre os cartazes exibidos pelos moradores, estão exibidas frases: “pai pede justiça”, “precisamos de proteção e não de polícia assassina”, “população revoltada”, entre outros. Três viaturas fazem o monitoramento da manifestação.

De acordo com o coronel Aldemário Xavier, cerca de 100 policiais militares estão na cidade para reforçar a segurança. Ele confirmou que os ataques foram promovidos pela população.

Xavier relatou a dificuldade de identificar os suspeitos de praticar a ação porque muitos estavam encapuzados. O secretário de Segurança Pública da Bahia, Maurício Barbosa, está na cidade para avaliar a situação. (G1)

Casa (amarela) onde criança morava e foi morta em Amargosa

Nenhum comentário:

Postar um comentário