16 de jul de 2014

Projeto Tecsol apoia famílias do semiárido que trabalham com licuri

Redação Portal Clériston Silva PCS 

Com o objetivo de mudar o cenário em que nordestinos migram da sua terra natal em busca de melhores condições de vida, o projeto Tecsol oferece apoio a famílias de municípios baianos, na busca pelo sustento.

Em Caldeirão Grande, a 183 quilômetros de Serrinha, por exemplo, através da Secretária de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado da Bahia (Secti) e da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), o projeto visa fortalecer as cadeias produtivas do licuri, , com reciclagem na região Metropolitana de Salvador. O licuri é a principal fonte de subsistência da cidade. Nele, são encontradas substâncias como: cálcio, magnésio, cobre, zinco, ferro, manganês e selênio.

Segundo a secretária da Secti, Andrea Mendonça, o Tecsol está voltado para o fortalecimento de uma cadeia produtiva do semiárido. “O nosso objetivo é a produção e a disseminação de conhecimentos voltados à agricultura familiar, principal atividade econômica da região, com a utilização de instrumentos tecnológicos e de tecnologias sociais provenientes da economia solidária”, explicou.

Aproveitamento do licuri - Na cooperativa, foram adquiridos diversos equipamentos que compõem a infraestrutura necessária para o aproveitamento total do licuri, onde as 36 famílias cooperadas trabalham produzindo artesanato e alimentos. Com a palha é possível produzir esteiras, vassouras, peneiras, bolsas, chapéus, etc. Com a amêndoa do licuri dá para fazer doce, barra de cereal, paçoca, licor, leite de licuri, que pode se utilizado no arroz, peixe e outros. Também estão desenvolvidas pesquisas para o uso do licuri em cosméticos, óleos e na alimentação animal.

Responsável por realizar oficinas e auxiliar os agricultores na participação em feiras de economia solidária, o Instituto Federal da Bahia (IFBA), através da engenheira química Djane Santiago, realiza visitas regulares em Caldeirão Grande. “Cada passo dado pelo projeto é uma troca de saberes. É muito gratificante ver estas pessoas gerando produtos e os comercializando, tendo uma fonte de renda. Fazemos um trabalho de sensibilização com os cooperados, acompanhando a confecção dos produtos sempre atentos à segurança alimentar. Existe uma transformação, principalmente para as mulheres, que antes tinham vergonha de quebrar licuri”, disse.

Centros de cidadania - O projeto também contempla a implantação de 30 Centros Digitais de Cidadania Rural (CDCR), que já estão funcionando nos municípios baianos, e da Cooperativa dos Produtores e Beneficiadores do Licuri do Município de Caldeirão Grande/BA (Cooperlic). “Aqui, o trabalho está dando certo, pois através da cooperativa, as famílias estão complementando sua renda. Antes, elas passavam dificuldade, mas depois que começaram a trabalhar com a cooperativa os produtos foram valorizados. Isso ajuda nossa comunidade a sair do sofrimento do trabalho pesado”, disse João Domingos Pereira, diretor de produção da Cooperlic.

Projeto Tecsol apoia famílias do semiárido que trabalham com licuri

Nenhum comentário:

Postar um comentário