30 de ago de 2013

Piritiba: radialista faz graves denúncias contra prefeito

Redação Portal Clériston Silva PCS 

O prefeito de Piritiba, a 267 quilômetros de Serrinha, assumiu a administração da cidade no dia 1° de janeiro de 2013 após ser eleito com 51% dos votos válidos em outubro de 2012. Em apenas oito meses de gestão, Ivan Cedraz (PSB) já acumula avalanches de denúncias que partem dos servidores públicos e moradores da cidade localizada na Chapada Diamantina.

Em contato com o PCS, o prefeito Cedraz se defende das acusações feitas pelo SINDSEMP - Sindicato dos Servidores Municipais de Piritiba. Segundo o gestor as informações são caluniosas e a greve dos professores do município não passa de uma perseguição política.

Eucleide Nascimento Lima, secretária do SINDSEMP, rebateu as informações do prefeito e fez duras declarações sobre a administração do socialista. Para piorar a situação, novas denúncias chegaram ao PCS apontando irregularidades em licitações aprovadas pelo prefeito que deverá seguir à frente de Piritiba até 31 de dezembro de 2015.

Segundo informações de Gideão Soares, radialista da Diamantina FM, desde que foi empossado Cedraz não recebe os sindicalistas para promover as tradicionais rodadas de negociação referente aos reajustes dos servidores públicos. “É assim que tem sido pautada a gestão dele”.

“Desde o dia 1° de janeiro vários médicos deixaram os postos da prefeitura por falta de pagamento, sendo que ele paga aluguel do veículo particular no valor de R$ 4 mil”, afirma o radialista que dispara uma série de acusações: “ele tem depositado R$ 2 mil na conta de professores que são seus apadrinhados. A alegação é que os profissionais estão fazendo cursos”.

Ainda segundo as denuncias a prefeitura de Piritiba licitou a locação de carros de passeio no valor de R$ 712 mil. “Ainda temos R$ 669 mil para locação de máquinas pesadas, sendo que a prefeitura tem veículos disponíveis para realizar os trabalhos. Mais R$ 404 mil com merenda escolar, mas uma das empresas beneficiadas é especializada em produção de jiló”.

De acordo com as acusações a administração do socialista também vem terceirizando todos os serviços da prefeitura. “Foram empregados R$ 3.270,000,00 por dez meses de serviço na área de saúde, média de R$ 327 mil por mês, sendo que os salários dos servidores estão atrasados”. Segundo o denunciante, a limpeza urbana também foi terceirizada por dez meses ao valor de R$ 1.145,500,00, média de R$ 145,500,00 por mês.

Todas as denúncias foram apresentadas na última semana ao Ministério Público Estadual (MP) e Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), em Salvador. “Outras serão apresentadas em breve e não vamos aceitar desmandos em nosso município”, concluiu Gideão. A reportagem tentou mante contato com o telefone do prefeito para ele esclarecer as acusações, mas não obteve êxito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário