16 de ago de 2013

Acordo entre posseiros e indígenas põe fim a conflito em Euclides da Cunha

Redação Portal Clériston Silva PCS 

Representantes do Governo do Estado se reuniram, na terça-feira (13), com agricultores familiares e lideranças da comunidade indígena Kaimbé, no município de Euclides da Cunha, para dar os encaminhamentos necessários à divisão da Gleba Sipituba. Trata-se de uma terra devoluta do estado da Bahia, com 10.842 hectares, localizada na zona rural da cidade.

Em julho deste ano, ficou acordada a cessão de quatro mil hectares da área para os indígenas e de 6.842 hectares para os posseiros, durante reunião na Secretaria Estadual de Relações Institucionais (Serin), encerrando, assim, o conflito fundiário que perdura há vários anos.

O chefe de gabinete da Serin, Pedro Alcântara, que auxiliou nas negociações, aproveitou para agradecer a participação de todos os envolvidos no processo e afirmou que o Governo do Estado apoiará as famílias no desenvolvimento de suas atividades.

Diálogo -  “O acordo foi resultado do diálogo entre representantes do poder público, posseiros e indígenas. Após a regularização fundiária, o Governo do Estado continuará acompanhando as famílias beneficiadas, oferecendo o apoio necessário para o desenvolvimento de suas atividades no campo, a fim de melhorar as condições de vida da população”, disse Alcântara.

Segundo o coordenador-executivo de Desenvolvimento Agrário, Luís Anselmo, o Estado está buscando solução de convivência para todos. “É possível fazer ajustes. Se a equipe chegar em campo e constatar que a divisão da área pleiteada precisa ser diferente, isso será feito”. As instituições do governo voltarão a campo, em setembro, para uma simulação das áreas coletivas a serem utilizadas pelas famílias cadastradas. 

Participaram ainda do encontro o assessor especial da Serin, Luís José Lira Lopes, e representantes da Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos (SJCDH), da Polícia Militar, da Casa Militar e da Fundação Nacional do Índio (Funai).

Nenhum comentário:

Postar um comentário