16 de abr de 2012

Serrinha sedia nesta terça (17) a 3ª Conferência do Meio Ambiente

Redação Portal Clériston Silva PCS

A Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema) realiza nesta terça-feira (17), mais uma etapa territorial da 3ª Conferência do Meio Ambiente. Desta vez, serão contemplados os 34 municípios que englobam respectivamente os Territórios de Identidade do Sisal e Bacia do Jacuípe, que será sediado no município de Serrinha.

Com o tema Integração das Políticas de Meio Ambiente e de Recursos Hídricos, as conferências territoriais, tem sido realizadas em cidades-pólo, dos 27 Territórios de Identidade do Estado.

As conferências tiveram inicio no Portal do Sertão, em Feira de Santana, e segue pelos demais territórios do estado até 31 de maio, com a tarefa de discutir sobre a gestão ambiental dos respectivos territórios. Em Serrinha, o evento acontecerá na Associação Atlética Banco do Brasil (AABB) das 8 às 18h.

A etapa territorial se caracteriza como num espaço voltado à participação da sociedade, no processo de integração, promoção e consolidação das políticas ambientais. “Este é o momento de Estado e municípios discutirem as ações ambientais em cada um dos Territórios. Após essa etapa, os pontos levantados serão encaminhados a etapa estadual, que acontecerá, em julho deste ano, em Salvador”, afirma a coordenadora da 3ª Conferência Estadual do Meio Ambiente, Mariana Mascarenhas.

Fase preliminar – Antes das conferencias Territoriais, os municípios precisam realizar as conferencias municipais – que ficam a cargo de cada município, e devem ocorrer até um dia antes da etapa territorial. Neste momento são eleitos os delegados que estarão presentes na etapa Estadual representando seu município. Para Mariana Mascarenhas, a decisão de que os delegados sejam eleitos nas conferências municipais, a Sema demonstra, mais uma vez, que está comprometida com o fortalecimento dos municípios baianos.

Temas – A etapa Territorial tem como prioridade discutir aspectos ligados a Meio Ambiente Urbano, Recursos Hídricos, Biodiversidade, Florestas, Descentralização e Desconcentração da Gestão Ambiental e Regulação e Qualidade Ambiental. Segundo Mascarenhas, os temas foram escolhidos, a partir de consultas públicas, com base nas Conferências anteriores, encontros de colegiados ambientais e do Plano Plurianual Participativo (PPA-P), que foi construído com a participação de vários segmentos da sociedade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário