6 de jul de 2016

Sob investigação, noivo de professora morta em Riachão é preso em Serrinha

Redação Portal Cleriston Silva PCS

Para a polícia, há indícios ligando o noivo ao crime
O noivo da professora Ienata Pedreira Rios, 35 anos, foi preso por volta das 14h desta quarta-feira (6) na cidade de Serrinha. A professora foi assassinada a facadas em Riachão do Jacuípe neste final de semana. O delegado pediu a prisão temporária de Cássio Fabrício Carneiro, 29. Ele vai ficar detido na delegacia de Riachão do Jacuípe.

Segundo o delegado à frente do caso, Sérgio Araújo Vasconcelos, a investigação até agora aponta para Cássio como o principal suspeito do crime. "Pudemos observar desde o primeiro dia que ele chegou no local (do crime) que não demonstrava emoção nenhuma. Uma pessoa fria o tempo todo", afirma o delegado. Segundo Vasconcelos, algumas evidências apontam para ao noivo.

"Existem pegadas de sangue no piso da casa (da professora) que coincidem com as pegadas do pé dele. Coletamos uma cópia da planta do pé dele para ter a prova pericial. Algumas conversas dele no WhatsApp com a vítima e conversas da vítima com outras pessoas demonstravam que ela estava insatisfeita com a relação, porque ele dava muita atenção à ex-mulher", relata o delegado.

Outro ponto considerado pela polícia é que na casa da professora havia um café da manhã intocado no dia do crime. "Tomamos depoimento da empregada, que informou que a vítima só tinha costume de fazer cuscuz quando o noivo ia para lá", diz.

Noivo e professora: Polícia acredita em crime passional
O delegado resolveu pedir a prisão temporária do suspeito, decretada pela Justiça, e Cássio foi preso quando fazia exame de corpo de delito no Departamento de Polícia Técnica (DPT) de Serrinha. Vários exames periciais foram solicitados, incluindo coleta de sangue no aparelho celular do suspeito, exame para reconhecer material biológico na unha, além do corpo de delito já feito por conta de um ferimento na testa que aparenta ter sido feito com unha de alguém. "Ele é o nosso principal suspeito, mas a investigação continua e a perícia vai dar a palavra final", afirma.

"Ele continua negando a autoria. Ele alega que no sábado passou o dia com o filho e a ex em um shopping de Salvador porque era aniversário do filho. Depois retornou para Dias D'Ávila por volta das 20h, onde foi para uma festa com um casal de amigos. Diz que chegou em casa por volta das 5h e ficou até 11h dormindo sozinho em casa", explica o delegado.

Cássio Fabrício e a professora Ienata namoravam há cerca de três anos. O suspeito mora com os pais em Dias D'Ávila, mas estes não estavam em casa no final de semana. "A vítima morreu entre 7h e 9h", estima o delegado. A viagem entre Dias D'Ávila e Riachão leva cerca de 3h.

Cássio foi encaminhado para Riachão do Jacuípe sob forte esquema de segurança porque, segundo o delegado, o clima de revolta ainda é grande em Riachão.

Cássio sendo encaminhado para carceragem da delegacia de Riachão do Jacuípe

Nenhum comentário:

Postar um comentário