21 de jul de 2016

PF prende 10 membros do Estado Islâmico no Brasil

Redação Portal Cleriston Silva PCS

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira (21) uma operação sigilosa de combate ao terrorismo no Brasil. O foco são cerca de 10 pessoas que estariam ligadas ao Estado Islâmico (EI). O ministro Alexandre de Moraes convocou uma entrevista coletiva, em Brasília, para dar detalhes da operação. Os suspeitos juraram lealdade ao EI.

Segundo o jornal O Globo, o grupo preso já estava com ações terroristas prontas para serem realizadas durante a Olimpíada no Rio de Janeiro. Ainda de acordo com a publicação, as pessoas foram presas em São Paulo e no Paraná. Entre os suspeitos detidos está um adolescente que teria sido recrutado pela internet.

A PF monitorou mensagens trocadas pelo grupo no Facebook e Twitter e descobriu que, além do plano do atentado terrorista na Olimpíada, eles também planejavam comprar armas.

Com a proximidade do evento internacional, a PF decidiu prender os suspeitos que estavam sendo monitorados. Os nomes dos presos não foram divulgados. Eles ficarão presos preventivamente por tempo indeterminado.

Grupo do Telegram - Um grupo extremista muçulmano brasileiro declarou lealdade aos terroristas do Estado Islâmico. De acordo com a agência de notícias Ansa, o grupo criou um canal aberto na rede social Telegram, chamado "Ansar al-Khilafah Brazil", onde escreveu: "Se a polícia francesa não consegue deter ataques dentro do seu território, o treinamento dado à polícia brasileira não servirá em nada".

Os extremistas se referem aos treinamentos em conjunto da polícia francesa com agentes brasileiros para a segurança dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. A Olimpíada começará no mês de agosto e tem o terrorismo como uma das suas principais preocupações.

Segundo o Intel Group, este seria o primeiro grupo na América do Sul a declarar de modo formal lealdade ao EI. Há poucos dias, o grupo terrorista lançou uma versão em português do canal "Nashir", página do califado também no Telegram.

Nenhum comentário:

Postar um comentário