14 de jul de 2016

Vice-prefeito de Santo Amaro é preso em casa suspeito de fraude em licitações

Redação Portal Cleriston Silva PCS

O vice-prefeito de Santo Amaro, Leonardo Araújo Pacheco (PSB), foi preso preventivamente na própria casa, na manhã desta quinta-feira (14), durante a Operação Adsumus, do Ministério Público da Bahia (MP-BA). Além do vice-prefeito, foram presos também os empresários Roberto Santana, Paulo Sérgio Vasconcelos e o servidor Diego Sales, da secretaria de educação do município, todos suspeitos de realizarem licitações fraudulentas em reformas de escolas e construção de creches entre os anos de 2011 e 2015. O MP estima que foram gastos R$ 20 milhões dos cofres públicos.

Os envolvidos foram presos preventivamente para não atrapalhar as investigações e devem ficar detidos por cinco dias no Centro de Observação Penal, na Mata Escura. O mandado de prisão temporária também foi expedido para o empresário Luís Carlos Sampaio, que ainda não foi localizado. Na casa dos dois empresários, presos em Vilas do Atlântico e Busca Vida, foram encontradas armas de fogo, resultando em flagrante. Na busca por eles numa das empresas, com endereço no bairro do Costa Azul, funcionava um salão de beleza.

O Ministério Público suspeita que as quatro empresas Grauthec Construtora Ltda, Oliveira Santana Construções, Serv. Bahia Locações de Máquinas e Equipamentos Ltda e Real Locações de Máquinas e Equipamentos Ltda sejam as mesmas, pertencentes ao mesmo grupo econômico sob nomes diferentes, que se revezavam nas licitações.

Procurada, a prefeitura de Santo Amaro não atendeu às ligações. Nas tentativas de contato com as empresas, o CORREIO descobriu que tanto a Grauthec Construtora Ltda quanto a Oliveira Santa Construções funcionam no Condomínio Empresarial Multi Center, em Lauro de Freitas.

Nessa primeira fase da operação serão analisados os materiais e documentos apreendidos em computadores. O MP só deve estabelecer as estratégias das próximas fases após a análise dos arquivos. A diligência foi realizada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco), envolvendo 50 policiais, 15 viaturas, 8 delegados e 42 investigadores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário