31 de out de 2013

Agricultores familiares participam de encontro em Santa Bárbara

Redação Portal Clériston Silva PCS 

Mais de 660 mil pessoas vivem da agricultura familiar na Bahia. Esta é a realidade de Genivaldo Araújo, morador de Jiquiriçá, que participa do IV Congresso da Agricultura Familiar do Estado da Bahia, em Santa Bárbara, para obter mais conhecimento e aprimorar seu trabalho.

“Temos incentivo quando participamos de um encontro como este, pois levamos muitas informações para nosso município”, disse Genivaldo. O evento acontece até esta quinta-feira (31), no acampamento Maanaim, com o objetivo de construir alternativas de viabilidade para a permanência do homem no campo. 

O secretário estadual de Relações Institucionais, Cézar Lisboa, participou da abertura do congresso, na terça-feira (29), e destacou programas que beneficiam o segmento, como o Todos pela Alfabetização (Topa), que já atendeu a 1,2 milhão de baianos, e o Água para Todos.

“Apenas 1/3 da população rural no estado tinha acesso a ponto de água confiável. De 2007 até agora, ampliamos para mais de 60%”, afirmou o secretário. Estas conquistas, segundo ele, resultam da atuação da sociedade civil. “É necessário que o povo esteja organizado e tenha capacidade de mobilização. Respostas de políticas públicas foram feitas em função das demandas dos movimentos sociais”.

Esta edição reúne 400 delegados, representantes de 82 municípios baianos, e homenageia a ex-coordenadora de Juventude da Federação Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar (Fetraf), Eliane Oliveira, que dedicou sua vida à luta em defesa dos trabalhadores rurais. 

Agroecologia, produção de alimento sustentável e convivência com a seca são alguns dos temas que ainda serão debatidos durante o congresso, promovido pela Fetraf-BA. As discussões nortearão a elaboração de um documento resolutivo, base para o plano de luta do movimento sindical, que será enviado às três esferas de governo.

Também compareceram ao início das atividades representantes da Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola (EBDA), da Superintendência de Agricultura Familiar (Suaf) e da Coordenação de Desenvolvimento Agrário (CDA), vinculadas à Secretaria da Agricultura (Seagri), do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), da Caixa Econômica Federal, da Central Única dos Trabalhadores (CUT), da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), entre outras entidades.

Nenhum comentário:

Postar um comentário