17 de mar de 2014

Acusado de envolvimento em duplo homicídio é encontrado morto no presídio de Serrinha

Redação Portal Clériston Silva PCS

Um detento foi encontrado enforcado no início da manhã de sábado (15) no Conjunto Penal de Serrinha. Segundo a Polícia Civil, o preso foi identificado como Raimundo Oliveira Moreira, 53 anos. Ele morava no bairro de Pernambués, em Salvador, e cumpria pena por homicídio.

De acordo com a polícia, o detento se encontrava na área do seguro - espécie de mini pavilhão, com oito celas, onde ficam os internos mais perigosos e, numa cela separada, os que são ameaçados de morte. Ele foi encontrado pelos agentes penitenciários por volta das 4h45m com o pescoço amarrado a uma corda feita de lençol e cobertor.

A Polícia Civil instaurou inquérito para apurar o caso. O laudo da perícia criminal será concluído em até 30 dias.

Preso era suspeito de envolvimento em duplo homicídio – De acordo com a polícia, Raimundo Oliveira Moreira é acusado de participar de um duplo homicídio ocorrido no dia 8 de maio de 2013 na Praça da Piedade, em Salvador.

Dois homens foram mortos a tiros e uma mulher grávida foi baleada na perna. O crime ocorreu em frente à sede da Polícia Civil.

Os dois homens mortos, Paulo Roberto Carvalho Lima, de 53 anos, e João Solidade da Silva, de 34, foram atingidos por disparos na cabeça. Uma mulher de 23 anos, que não teve o nome divulgado, foi encaminhada para o Hospital Geral do Estado (HGE), onde recebeu atendimentos médicos.

Prisão dos suspeitos - Cerca de 45 dias depois, três traficantes envolvidos no duplo homicídio de Paulo Roberto Carvalho Lima, de Feira de Santana, e João Solidade da Silva, do Amazonas, na Praça da Piedade, foram apresentados pela Secretaria de Segurança Pública (SSP).

Augusto Santos Vilas Boas, conhecido como Gugu, 20, matou João Solidade com dois tiros na face e Cleibson Barreto Oliveira, o Caquito, 20, baleou Paulo Roberto com um tiro na cabeça.

Já o paulista Frederik Henry, o Cachorrão, 42, que é bacharel em direito, facilitou a fuga dos assassinos, num Fiat Punto, de cor branca, roubado. O carro ficou estacionado na região do Dois de Julho, próximo a um hotel, à espera de Gugu e Caquito.

O delegado-geral da Polícia Civil Hélio Jorge informou que as investigações revelaram o envolvimento de João e Paulo Roberto com o tráfico de entorpecentes, no Amazonas, sendo fornecedores de drogas à quadrilha integrada pelos três traficantes. A dupla estava em Salvador pressionando a quadrilha para receber o pagamento da última remessa entregue.

Joseval Bandeira, o Val Bandeira, é apontado como mandante do crime. Ele liderava o tráfico no Nordeste de Amaralina, e está custodiado na Unidade Especial Disciplinar (UED), no Complexo da Mata Escura. 

Comparsas de Val Bandeira, Adimilson Silva de Jesus, o “Missinho ou Rato”, de 42 anos, Deivides Jesus Pimentel dos Santos, o Galo, de 26, e Raimundo de Oliveira Moreira, o Duda, os dois primeiros custodiados no Complexo da Mata Escura, também têm envolvimento no duplo homicídio, segundo a Polícia Civil.

João e Paulo Roberto teriam negociado 500 quilos de crack, com a quadrilha de Val Bandeira, que decidiu não pagar pela droga e ordenou a execução. O diretor do DHPP, Jorge Figueiredo, afirmou que a droga estava avaliada em R$ 800 mil e renderia ao bando cerca de R$ 2,5 milhões, depois da revenda. “Toda a operação foi feita do presídio por meio de aparelhos celulares”, disse o delegado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário