27 de jan de 2013

Incêndio em boate deixa 231 mortos no Rio Grande do Sul

Redação Portal Clériston Silva PCS 

Pelo menos 231 pessoas morreram e 117 ficaram feridas em um incêndio na madrugada deste domingo (27) em uma boate no município de Santa Maria, Rio Grande do Sul. De acordo com o tenente-coronel do Exército, Moisés da Silva Fuchs, em entrevista à Folha de S. Paulo, afirmou que este número pode ser ainda maior porque há pessoas desaparecidas e espalhadas em diversos hospitais.

O comandante do Corpo de Bombeiros do Rio Grande do Sul, coronel Guido de Melo, afirmou que a maioria das 231 pessoas mortas no incêndio morreu por asfixia. Segundo ele, poucas foram as pessoas que morreram em decorrência de queimaduras.

Um capitão da Brigada Militar contou ao jornal O Globo que 90% dos corpos foram encontrados nos dois banheiros - um masculino e outro, feminino. Segundo ele, a boate teria apenas uma saída e os jovens podem ter confundido a porta dos banheiros com as de saída.

Em entrevista ao jornal O Dia, o coronel Guido de Melo ainda resumiu a tragédia: "O que provocou a tragédia foi o uso de um material não autorizado, o pânico, a inalação de fumaça tóxica e a porta fechada", declarou.

O coronel também confirmou que testemunhas declararam que os seguranças da boate Kiss impediram a fuga dos clientes durante o incêndio, para evitar que saíssem sem pagar.

O ginásio esportivo da cidade, para onde foram levados os corpos para reconhecimento de familiares, foi isolado pela Brigada para evitar a invasão de parentes e amigos.

O jornal “Zero Hora” divulgou o nome de seis pessoas que morreram nos hospitais, após terem sido socorridas na boate. São eles: Luiz Fernando Riva Donati, Ian Meincrem, Juliano de Almeida, Tiago Amaro Cecrinoto, Andressa Ferreira, Mateus de Lima Libreloto.

De acordo com o coordenador da Defesa Civil da cidade, Adelar Vargas, o fogo pode ter começado na espuma de isolamento acústico do teto. Segundo ele, um dos membros da banda que estava se apresentando teria acendido um sinalizador, que atingiu o teto e deu inicio às chamas.

Por causa da tragédia, a presidente Dilma Rousseff cancelou os compromissos oficiais de sua primeira viagem internacional do ano para o Chile. Ainda este domingo (27) ela deverá retornar ao Brasil e irá para Santa Maria para acompanhar o resgate e a identificação das vítimas.

A boate ficou completamente destruída e sua estrutura corre o risco de desabar, segundo os bombeiros. O fogo foi controlado às 5h30, mas os bombeiros realizavam o trabalho de rescaldo até às 7h. O alvará de funcionamento da boate Kiss, onde o incêndio aconteceu, estava vencido desde agosto de 2012.

Seguranças barraram saída, diz sobrevivente - A Polícia vai investigar denúncias de que seguranças teriam barrado saída de vítimas de incêndio na boate em Santa Maria, que teria provocado a morte de pelo menos 231 jovens e deixou outros 117 feridos.

Uma internauta questionou ação dos seguranças da casa noturna, que no início do incêndio teriam impedido saída do público sem pagar. "Quero saber se vão divulgar que os seguranças barravam a saída no inicio!". Com informações da Folha de S. Paulo.

Estudante morreu no banheiro - Familiares da estudante de radiologia Leandra Toniolo, 23, que estava entre os desaparecidos no incêndio, encontrara o corpo da jovem na manhã deste domingo (27).

O corpo da estudante, que no momento do incêndio havia ido ao banheiro, foi encontrado no caminhão usado pela Brigada Militar para levar a grande quantidade de corpos ao Centro Desportivo Municipal. 

Incêndio deixou ao menos 231 mortos e 117 feridos, segundo informações preliminares do Exército. O local tinha capacidade para 2.000 pessoas.

"A família está desolada, a Michele [amiga que sobreviveu e contou que Toniolo estava no banheiro no momento do incêndio] está em estado de choque, contou à Folha de S.Paulo a estudante Clarissa Weiss Pereira, 33, prima de Michele Pereira, 34. (Correio)

Nenhum comentário:

Postar um comentário