19 de jul de 2011

Yamana implanta em Santaluz a maior mina de ouro a céu aberto da Bahia

Com previsão de lançamento da pedra fundamental para o próximo dia 15 de agosto, a Yamana Gold trabalha em ritmo acelerado para implantação da maior mina de ouro a céu aberto no estado da Bahia, localizada no município de Santaluz, na região semiárida, a 74 km de Serrinha.
Em uma área com cerca de 450 hectares, com um investimento estimado em torno de R$ 323,3 milhões, o projeto prevê a produção de 243,3 kg/mês de ouro.
.
No mês de junho, o Presidente da CBPM, Alexandre Brust, e o Diretor Técnico, Rafael Avena Neto, visitaram a mina acompanhados de Marcos Moraes Silva e Gracílio Varjão, respectivamente Gerente de Projeto e Gerente de Minas da empresa canadense. Uma equipe de geólogos e técnicos da CBPM, que chegou a Santaluz um dia antes, também se juntou ao grupo para reconhecimento das atividades de implantação da mina e planta de beneficiamento e processamento do Projeto Ouro C1-Santaluz.

O Projeto C1-Santaluz fica em áreas arrendadas pela Companhia Baiana de Pesquisa Mineral - CBPM, que fez as primeiras cavas. O local, na área da Fazenda Maria Preta, região do Rio Itapicuru, a 35 km da sede, passa por uma rápida transformação. São várias máquinas trabalhando, equipamentos chegando, serviços de terraplanagem da planta de britagem da mina de ouro e estradas abertas.

Com o pique das obras, iniciadas em 2009, os diretores da Yamana Gold estão otimistas. Por isso, além de marcarem a data de lançamento da pedra fundamental, eles também projetam a inauguração da mina para o dia 04 de dezembro de 2012, quando será iniciada a fase de produção. “A placa de moinho já está quase pronta. Quando colocar a placa em cima da base será a nossa inauguração”, prevê o Gerente de Projeto da Empresa, Marcos Moraes da Silva.

Dividendos para o município - Na fase de implantação, a estimativa da Yamana é de criar 600 empregos diretos e 600 indiretos. Na fase de produção, a previsão é que sejam gerados 332 empregos diretos e 996 indiretos. Segundo o Gerente de Minas, Gracílio Varjão, que veio de Carajás (PA) para apostar no projeto da Yamana no semiárido baiano, “a previsão inicial de vida útil da mina é de 9,5 anos”.

De acordo com estimativas de Marcos Moraes, “quando chegar a fase de produção, somente de impostos, a arrecadação do município de Santaluz pode atingir R$ 2 milhões/mês, maior do que a receita bruta que o município tem hoje”.

Além disso, ainda nesta fase, a Yamana Gold prevê a construção de uma pista de pouso, que depois será utilizada pelo município, sem falar nos empregos diretos e indiretos que serão gerados. “Desde já, as mudanças têm causado efeito na cidade, com a subida de preços dos imóveis e do aluguel”, destaca Marcos.

Matéria: Evandro Matos

Nenhum comentário:

Postar um comentário