4 de nov de 2016

Rui Costa fará reforma administrativa e confirma cargo para Jaques Wagner

Redação Portal Cleriston Silva PCS

O governador Rui Costa afirmou que fará, até o final do ano, uma reforma administrativa e, entre as mudanças na gestão, confirmou que o ex-governador da Bahia e ex-ministro Jaques Wagner (PT) vai ganhar um cargo no governo do estado.

Em sua primeira entrevista após o segundo turno das eleições, Rui avaliou o desempenho do seu partido no pleito (a legenda teve redução de 60% no número de prefeituras), e afirmou que sua base aliada elegeu prefeitos em 284 cidades baianas, o que representa uma “esmagadora maioria”.

Fontes do governo do estado dão como certa a ida do ex-ministro para coordenar a Agenda Territorial da Bahia (AG-TER), projeto voltado para o desenvolvimento, por meio da atração de investimentos com incentivos fiscais com foco nos municípios. Quanto mais pobre o município, mais incentivos.

Rui não confirmou o cargo do ex-ministro. “Estou definindo com ele (Wagner). Devo fazer algumas mudanças agora no governo. Entre elas está a inclusão do ex-governador Jaques Wagner na equipe de governo. Estamos definindo essas mudanças e anuncio em breve”, contou.

Nos bastidores, tem sido cogitada, entre as mudanças, a saída do secretário de Relações Institucionais, Josias Gomes, que tem sido criticado por aliados do governador. Rui minimizou as críticas. “Eu já fui dessa pasta e apanhei, é intrínseco ao cargo. Não conheço quem cumpre essa função e não apanhe muito”, ponderou.

Mudança - Rui também negou qualquer conversa com o ex-ministro Ciro Gomes, que, segundo informações de bastidores, teria o interesse de levar o governador da Bahia para o PDT. Além de Rui, Ciro tenta atrair outros governadores petistas para partidos que integram o seu projeto de se candidatar à Presidência da República em 2018. “Não discuto mudança de legenda, não é o essencial para a vida das pessoas. Estou pensando, nesse momento, em outra agenda para o Brasil”, disse o governador.

O presidente nacional do PDT e ex-ministro, Carlos Lupi, disse, nesta quinta-feira, 3, ao A TARDE, que vai procurar Rui para pedir apoio a uma eventual candidatura de Ciro Gomes em 2018, da mesma forma que está buscando apoio de lideranças de outros partidos. Indagado, sobre eventual ida de Rui para o partido, negou que o assunto esteja sendo tratado.

O presidente estadual do PDT, deputado federal Félix Mendonça Júnior, negou conversas neste sentido com Rui. “Em um encontro casual, após ver notas em blogs, perguntei ao governador se estaria vindo mesmo para o PDT. Ele disse que ainda não tinha recebido convite. Então respondi ‘se considere convidado’”, contou.

Rui, segundo o parlamentar, sorriu e disse que não era o momento de falar em troca partidária, mas de fortalecer a base do governo com partidos, como o PDT, que cresceram nas eleições.

Centro de Convenções - O governador Rui Costa informou que está estudando a possibilidade de construção do Centro de Convenções na área do Parque de Exposições, na avenida Paralela. Ele disse que as negociações para a área no Comércio, plano inicial do governo, estão lentas, o que o levou a buscar alternativas. Parte da estrutura do atual centro, no Jardim Armação, desabou em setembro, o que inviabilizou o retorno às atividades do local.

“Entre as alternativas está a construção no Parque de Exposições. Faremos um formato com a iniciativa privada para acelerar o processo de construção e entrega”, afirmou.

Rui disse ainda não ter sido procurado pelo prefeito ACM Neto (DEM), que afirmou estar disposto a ajudar numa solução para o Centro. “Qualquer ajuda será bem vinda, embora já estejamos tocando o projeto”. O governador fez críticas à gestão do centro nos últimos dez anos, pelo fato de a maioria dos eventos realizados no local terem sido formaturas. “Nada contra, mas precisamos atrair grandes eventos nacionais e internacionais”.

Repatriação - Rui também informou que o governo do estado ajuizou ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para garantir o recebimento das multas aplicadas na repatriação de bens feita pelo governo federal. Segundo o governador, a Bahia vai receber cerca de R$ 380 milhões, valor que quase dobra com as multas. “Não há como separar multa de tributo. A multa é derivada do tributo”. (A Tarde)

Nenhum comentário:

Postar um comentário