27 de jan de 2016

ACM Neto nomeia políticos em cargos técnicos com salários estratosféricos

Redação Portal Cleriston Silva PCS

Reza a lenda que para se ter um bom cargo com alta remuneração há de ser amigo do rei. Um bom exemplo é a prefeitura de Salvador. Os maiores salários giram em torno de R$ 14 e R$ 19 mil. As funções variam entre assessor especial e assessor especial do prefeito. Os requisitos para ocupação do cargo são uma incógnita, mas alguns têm ligação de amizade com Neto, com o grupo do qual ele é oriundo e outros fazem parte do rol de novos aliados. Exemplo: ex-presidente do Sindicato dos Rodoviários e ex-deputado estadual, J. Carlos Silva rompeu com o governo do PT e se aliou a Neto. Em retribuição - ele tem votos no subúrbio -, ele virou assessor especial do prefeito, com salário de R$ 14.682,52.

Os agraciados pelo prefeito vão desde ex-vereador, passando por filha de deputado federal, filho de aliado e parente ‘distante’ de ACM Neto. Os dados estão disponíveis no site do Tribunal de Contas dos Municípios (www.tcm.ba.gov). Filho do ex-deputado estadual Carlos Gaban com uma prima de Neto, Luís Henrique de Magalhães Gaban é secretário particular do prefeito, cujo salário é igual ao de J. Carlos.

A filha do deputado federal Benito Gama, Taissa Teixeira Vasconcellos, foi nomeada recentemente diretora de Turismo da Prefeitura de Salvador. Antes de Benito romper com o governo do PT, Taissa era coordenadora da Superintendência de Construções Administrativas (Sucab), extinta na gestão atual. Apesar de ter dado o cargo para o PTB, o partido no município é independente e no Estado é oposição ao governo. Entretanto, dois dos três petebistas que têm mandato, apoiam Rui Costa. São o deputado federal Antônio Brito e o vereador Edvaldo Brito, filho e pai. Taissa, diga-se de passagem, vai se candidatar a vereadora.

A lista de beneficiado pela generosidade do prefeito continua. Filho da ex-prefeita de Candeias e ex-deputada federal, Tonha Magalhães, Junior Magalhaes abandonou, por ora, as pretensões políticas ligadas ao Legislativo. Ele foi deputado estadual por dois mandatos e já disse que não pretende retonar à Assembleia Legislativa. Junior Magalhães, nomeado assessor especial do prefeito, coordenou o programa ‘Ouvindo Nosso Bairro’. O salário é de R$ 18.639.

Ex-candidato a vice-prefeito na chapa de Mário Kertész, Nestor José Maria Neto é mais um assessor especial do prefeito. Recebe, segundo dados disponíveis no site do TCM, R$ 19.493, para exercer o cargo de diretor geral de Acompanhamento das Ações da Secretaria de Saúde. Nestor é do PMDB e vai disputar uma cadeira na Câmara de Vereadores nas eleições deste ano.

Filho do Bispo Átila Brandão, o pastor Átila Brandão Junior recebe R$ 18.892 para desempenhar a função de assessor especial da subchefia de gabinete do prefeito de Salvador. O Bispo Atila apoiou de forma direta a candidatura de ACM Neto em 2012.

Ex-vereador e ex-secretário de Saúde do então prefeito João Henrique, o ortopedista Gilberto José é assessor especial do prefeito, cujo salário é de R$ 14.683.

Aliado de décadas do carlismo, o ex-vereador Antonio Lima não foi alcançado pela generosidade de ACM Neto, quando comparado a outros nomes. Nomeado como assessor especial, Lima recebe mensalmente R$ 8.400.

Quando assumiu a prefeitura, o prefeito ACM Neto disse que ia priorizar a competência técnica na montagem de sua equipe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário