28 de mai de 2019

Avança tramitação projeto que cria o Dia do Vaqueiro na Bahia de autoria do deputado Alex da Piatã

Redação Portal Cleriston Silva PCS

Figura importante do cenário cultural não só do Estado, mas de toda região nordeste do Brasil, o vaqueiro está cada vez mais próximo de ganhar um dia para serem homenageados no calendário local, sempre no último domingo do mês de agosto. A Comissão da Educação da Assembleia Legislativa da Bahia aprovou o projeto n. 21.452/2015 do líder do PSD na AL-BA, deputado Alex da Piatã (PSD).

A expectativa do deputado é ver o texto em deliberação no Plenário da Casa ainda neste ano. “É um projeto importante que valoriza aqueles que com muito suor tocam o progresso de várias regiões do interior da Bahia. Agradeço aos meus colegas da comissão por terem aprovado o dia do Vaqueiro”, disse. Protocolada em 2015, a proposição, no ano retrasado, foi aprovada por unanimidade na Comissão de Constituição de Justiça (CCJ).

"Ser vaqueiro não representa um simples hábito em determinadas ocasiões. Ser vaqueiro não é um costume do homem sertanejo, é um estilo de vida que esses homens carregam por toda sua trajetória, dando continuidade a herança enraizada por seus pais e avôs, cuidando do gado, da caatinga, fiscalizando fazendas e auxiliando, inclusive, na agricultura de subsistência.", justificou o deputado ao comentar a proposição.

O pessedista classifica o registro como fundamental para valorização da figura histórica, tradicional e cultural, visto que várias cidades do interior baiano realizam festas de vaquejadas e de vaqueiros. Alex, inclusive, é frequentador e apoiador de diversos festejos da chamada “vaqueirama”. "O trabalho é árduo e contínuo e eles [vaqueiros] se sentem felizes e orgulhosos do que fazem", ressaltou.

Patrimônio imaterial – Desde 2011, a figura do vaqueiro foi transformada em um patrimônio imaterial da Bahia, através da sanção do Decreto n° 13.150, pelo então governador Jaques Wagner (PT), na inserção do Livro de Registro Especial dos Saberes e Modos de Fazer o Ofício de Vaqueiro em ação vinculada ao o Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia – IPAC.

Nenhum comentário:

Postar um comentário