22 de jul de 2015

Presidente da Câmara de Filadélfia acusa TCM de esquema para proteger aliados do governo

Redação Portal Cleriston Silva PCS 

O presidente da Câmara de Vereadores de Filadélfia, no Piemonte Norte do Itapicuru, Lúcio Batista, acusou, em entrevista à rádio comunitária Várzea do Curral, que o Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) protege aliados do PT, ao qual estaria na lista o prefeito da cidade, Antônio Barbosa Júnior (PDT).

Lúcio Batista declarou que os conselheiros do TCM são escolhidos por questões partidárias e citou o nome de Paulo Maracajá como um exemplo do aparelhamento da Corte de Contas. “O Paulo Maracajá, o governador botou”, disse na entrevista. “Eu queria um dia chegar nesse Tribunal e encontrar os técnicos, pessoas concursadas e não indicação política”, afirmou.

O edil ainda especulou que prefeitos do interior teriam um escritório de contabilidade para facilitar com que as contas fossem aprovadas no TCM. “Eu não escondo para ninguém, cada prefeito tem um escritório de contabilidade em Salvador onde deve ter lá, Deus me perdoe, provavelmente, não vou nem afirmar, deve ter alguém ligado ao Tribunal porque o que você vê nas contas. O cara desvia R$ 1 milhão e sabe quanto é a multa? Quinze mil [...] No dia que nós tivermos lá oito conselheiros, tudo técnico, aí a madeira vai deitar, porque não vai ter esquema não”, declarou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário