30 de jul de 2013

Bahia tem 76% dos 417 municípios inscritos no programa 'Mais Médicos'

Redação Portal Clériston Silva PCS 

Foram cadastradas 317 dos 417 cidades baianas para o programa federal "Mais Médicos", de acordo com dados informado pelo governo estadual nesta segunda-feira (29). O número representa 76% do total de cidades.

Para o Ministério da Saúde, na Bahia, 264 municípios são considerados prioritários, entre eles, Alagoinhas, Água Fria, Araci, Barrocas, Cansanção, Capela do Alto Alegre, Euclides da Cunha, Filadélfia, Inhambupe, Ipirá, Irará, Itiúba, Lamarão, Miguel Calmon, Monte Santo, Nordestina, Nova Soure, Olindina, Ourolândia, Pé de Serra, Queimadas, Santa Bárbara, Santaluz, Santo Estevão, Santanópolis, Santo Antônio de Jesus, Sátiro Dias, Saúde, Serra Preta, Serrolândia, Teofilândia e Tucano. A lista completa pode ser acessada no site da pasta.

Os prefeitos puderam realizar as inscrições até o dia 25 deste mês, pela internet. Nesse primeiro mês, 3.511 municípios brasileiros se cadastraram no programa, o que representa 63% do país e 92% das cidades definidas como prioritárias, de acordo com dados do Ministério.

Para atender a demanda da população dessas cidades, necessários 15.460 médicos, conforme informações da pasta, sendo que 92% delas já tinham obtido recursos federais para aplicação na infraestrutura da saúde.

Demanda estadual - De acordo com o Conselho Regional de Medicina do Estado da Bahia (Cremeb), a Bahia tem 18.299 médicos com inscrição ativa na entidade, entre eles, 10.759, cerca de 60%, atuam em Salvador, segundo dados de 2013. Do total, cerca de 65% presta serviço ao SUS na capital e no interior, aponta a pesquisa Demografia Médica no Brasil, divulgada pelo Conselho.

Programa - Lançado em 8 de julho pela presidente Dilma Rousseff, o Mais Médicos prevê a contratação de 10 mil profissionais para atuarem em locais com carência de assistência médica, no interior do país e em periferias de grandes cidades.

As inscrições para o segundo ciclo de contratações serão abertas no próximo dia 15 de agosto para preencher vagas remanescentes, informou o ministério. O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, disse não ter a expectativa de preencher todas as vagas com os candidatos aprovados no primeiro ciclo.

Infraestrutura - Durante a divulgação do balanço final dos inscritos no programa, o Ministério da Saúde afirmou que 92% dos municípios que aderiram à iniciativa federal já tiveram acesso a recursos da União para melhorar a infraestrutura das unidades básicas de saúde locais. O ministro Padilha usou o índice para contestar as críticas de médicos brasileiros ao projeto.

Entidades médicas contrárias ao Mais Médicos têm condenado a decisão do governo de investir na contratação de profissionais estrangeiros.

Na visão dessas associações, não faltam médicos no país, e sim investimento em infraestrutura médica. "Não só faltam médicos na atenção básica como cresceu essa demanda desde o início do ano", afirmou Padilha.

Calendário - No dia 1º de agosto, o governo divulgará a lista de profissionais brasileiros selecionados para o Mais Médicos. Eles terão até 3 de agosto para homologar sua participação no programa e assinar um termo de compromisso. Em 5 de agosto, os nomes dos médicos com registro profissional no Brasil serão publicados no "Diário Oficial da União".

O número de vagas que não serão ocupadas por profissionais brasileiros será divulgado em 6 de agosto. Até o dia 8, o ministério irá selecionar os médicos do exterior que se inscreveram para o Mais Médicos. A relação dos estrangeiros a serem contratados será publicada em 13 de agosto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário