27 de out de 2015

Morre PM que se envolveu em confusão com PRF em Euclides da Cunha

Redação Portal Cleriston Silva PCS

O policial militar que se envolveu em uma troca de tiros com um policial rodoviário federal após uma confusão em um bar na cidade de Euclides da Cunha morreu na madrugada desta terça-feira (27). A informação foi confirmada por volta das 3h20m pelo delegado responsável pela investigação do caso, Miguel Vieira dos Santos.

Foi enterrado no final da tarde deste sábado (24), em Salvador, o corpo do inspetor da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Hamilton Safira Andrade Segundo, de 41 anos, que morreu após ser baleado durante confusão ocorrida em um bar na cidade de Euclides da Cunha, no interior da Bahia.

Na mesma situação, o policial militar Ubiratan dos Santos Borges, de 33 anos foi baleado e está internado em estado grave no Hospital Clériston Andrade, na cidade de Feira de Santana. Ele passou por uma cirurgia.

O inspetor chegou a ser socorrido em direção ao Hospital Clériston Andrade, em Feira de Santana, mas não resistiu aos ferimentos e morreu ainda no caminho.

O PRF, lotado em Feira de Santana, foi atingido com um tiro e o policial militar, que atuava em Euclides da Cunha, foi ferido por quatro disparos. Os dois policiais estavam de folga.

O titular da 25ª Coordenadoria de Polícia Civil do Interior, Miguel Vieira dos Santos, informou na manhã de sábado que, segundo informações de testemunhas ouvidas no local do crime, o inspetor estava acompanhado de um promotor de Justiça, que teve o carro queimado após a confusão.

"O que estão dizendo é que o policial militar estava pegando o carro em frente ao local e tinha um bêbado próximo ao carro. Ele teria agredido o homem, que caiu. O promotor foi ao socorro da pessoa caída e o PRF começou a atirar", contou Miguel Vieira.

Segundo o delegado, o carro do promotor foi incendiado após a polícia ter isolado o local do crime. A polícia irá solicitar as imagens de câmeras de segurança das proximidades da região e fará uma perícia no veículo. Somente depois destas apurações, as circunstâncias da situação devem ser esclarecidas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário