24 de mar de 2011

Polícia prende dois acusados de matar médico que tinha fazenda em Ipirá

A polícia prendeu nesta segunda-feira (21) os três acusados de matar o médico e pecuarista Carlos Augusto Boaventura Prado, 56 anos, em Ruy Barbosa, a 193 km de Serrinha. Segundo informações do delegado titular da delegacia da região, Marcelo Cavalcanti, foram presos em flagrante Sérgio Sampaio de Macedo Ribeiro, de 23 anos; Wallace Sampaio Marcelino, vulgo Lula, de 24 anos e um menor, I.M.S, de 17 anos.

Durante o depoimento os acusados declaram que mais dois homens participaram do crime, José Sampaio Marcelino, vulgo Nengo, de 32 anos, que possui mando de prisão preventiva decretada em 2006 e Marcioney Lima Silva, vulgo Ney, de 28 anos. Os dois estão foragidos. O médico desapareceu no último dia 18 e foi encontrado morto no domingo (20).

Ainda segundo o delegado, Sérgio era vaqueiro da fazenda da vítima, filho de um casal que há 30 anos trabalhava para o médico no local. No seu depoimento, Sérgio confessou que sempre roubava cabeças de gado do médico. Na última semana, a vítima acabou descobrindo os roubos. Temendo represálias e também sabendo que Carlos estaria com uma boa quantidade de dinheiro, Sérgio planejou um roubo e convidou alguns comparsas para ajudá-lo. Seu objetivo era fugir da região depois.

O crime - A polícia averiguou que ele saiu de casa na última quinta-feira (17) informando à família que retornaria no dia seguinte para almoçar. No caminho, ele passou em outra fazenda de sua propriedade no município de Ipirá. Em seguida, continuou a viagem. Já em Ruy Barbosa, segundo a investigação, a vítima teria encontrado um funcionário e ao parar o carro para saber o motivo pelo qual o rapaz estava ali, foi rendido pelos bandidos e levado até um local em sua própria fazenda onde foi amarrado em uma árvore e assassinado com um tiro na cabeça.

Os criminosos fugiram no carro da vítima - encontrado na terça-feira (22) no distrito de Riachuelo, em Mundo Novo, onde eles o abandonaram com medo do cerco policial. “Constatou-se então a existência de um latrocínio, roubo seguido de morte”, explicou o delegado Jorge Figueiredo, coordenador da 12ª Coorpin, observando que Sérgio confessou, em depoimento, que nos últimos meses havia furtado 16 cabeças de gado do seu empregador.

A família de Carlos inicialmente acreditava tratar-se de um seqüestro, pois ele era um empresário da área de criação de bovinos conhecido na região, além de ser dono de uma loja em Feira de Santana. O corpo do empresário foi encontrado na tarde de domingo. As buscas foram coordenadas pelos delegados da cidade de Ruy Barbosa, Marcelo Moreira Cavalcanti, e de Itaberaba, Jorge Figueiredo Júnior.

Nenhum comentário:

Postar um comentário