25 de fev de 2015

Mesmo sem água, idosa recebe conta e valor passa de R$ 20 para R$ 14 mil em Santo Estevão

Redação Portal Cleriston Silva PCS 

Moradores na zona rural de Santo Estevão, na região de Feira de Santana, estão com falta de água desde o ano passado, mas as contas continuam chegando às casas dos moradores. Em uma delas, o valor subiu de R$ 20,90 para R$ 14,423 mil.

A situação ocorre com Maria de Jesus na conta em janeiro deste ano. Na casa dela, onde moram quatro pessoas, não sai água das torneiras. "É muito alto e não tenho condições de pagar", afirma a aposentada. A plantação da casa foi prejudicada. Antes, ela regava os pés de fruta duas vezes ao dia e hoje vê os pés morrendo. "Não estou molhando mais", relata.

Pelo menos 500 famílias que moram nos povoados do Dique, Cabeça da Vaca, Poço Escuro, Caboclo e Várzea Nova, localizados na zona rural de Santo Estevão, passam pelo problema. Indignado com a situação, um comerciante organizou um protesto. Ele e mais 85 moradores dizem que não vão mais pagar a conta de água. O caso foi parar na Justiça, mas, até agora, nada foi feito. "Que eles tomem providência e procurem melhorar a situação da gente", disse Renato Silva.

Na residência de Rosemeire de Assis, são nove meses sem água. Para lavar roupa, louça e tomar banho, o jeito é reaproveitar água da chuva ou gastar R$ 80 por mês com caminhões-pipa, fora o valor da conta, que continua sendo cobrado. "Sofrimento é muito grande, a gente não aguenta mais sofrer, porque a gente paga conta de água todo o mês e a gente comprando pipa d´água", afirma.

A mesma cena se repete na casa de Anália de Oliveira. Ela e a família estão sem água há cinco meses. Desde então, o banho ocorre com auxílio de um recipiente. Sem alternativa, a solução foi arcar com R$ 850 para reativar esta cisterna.

Segundo a Empresa Baiana de Água e Saneamento (Embasa), o motivo da falta de água é uma obra de ampliação no sistema de abastecimento. A empresa disse que já foi implantada uma nova adutora e a situação já começou a ser resolvida em algumas comunidades, mas a água ainda está chegando com pressão menor. A previsão é que o problema seja resolvido até o final desta semana. No caso das contas que subiram demais, a empresa disse que é preciso procurar o escritório da embasa e pedir reavaliação da tarifa.


Nenhum comentário:

Postar um comentário