13 de fev de 2019

Jumentos achados sob maus-tratos em Euclides da Cunha são resgatados por organizações de proteção

Redação Portal Cleriston Silva PCS

Os 800 jumentos vítimas de maus-tratos encontrados em uma fazenda, na cidade de Euclides da Cunha, a 143 km de Serrinha, foram resgatados e estão sob cuidados de organizações civis de proteção ambiental. A informação foi divulgada, nesta quarta-feira (13), pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA). Segundo o órgão, a propriedade foi interditada.

Os animais foram achados no final de janeiro, durante uma vistoria realizada pela prefeitura de Euclides da Cunha, após denúncias. Depois da visita, a administração da cidade denunciou o caso à Polícia Civil, órgãos ambientais e Ministério Público.

O laudo da vistoria foi divulgado pelo prefeito Luciano Pinheiro (PDT) nas redes sociais, no início de fevereiro. No documento, a administração da cidade detalha que os jumentos não tinham água e alimentação adequadas, e que, entre os animais adultos, também foram achados filhotes recém-nascidos. Segundo a prefeitura, os jumentos estavam fracos, abatidos e mal se aguentavam em pé.

De acordo com o laudo, os animais deveriam ser mantidos na propriedade temporariamente até seguirem para um abatedouro, mas, estavam há mais de 60 dias no local.

Ainda segundo o documento, funcionários que estavam na fazenda no momento da vistoria teriam informado que, além dos 800 jumentos encontrados vivos, outros 200 também teriam sido levados para o local, mas morreram ao decorrer dos 60 dias. Na propriedade, foi encontrada uma cova improvisada, com dezenas de corpos de jumentos.

Segundo o MP, o caso está sob investigação da Polícia Civil, e é acompanhado pela Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab) e pelo Instituto de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Estado da Bahia (Inema), que fizeram vistorias no local.

A promotora de Justiça Cristina Seixas Graça, coordenadora do Centro de Apoio às Promotorias de Justiça de Meio Ambiente (Ceama), informou que a suspeita é de que haja envolvimento da empresa chinesa Cuifeng Lin no caso. A organização é alvo de uma outra investigação envolvendo maus-tratos a jumentos, desencadeada no ano passado, na cidade de Itapetinga, no sudoeste da Bahia.

Na época, cerca de 200 jumentos foram encontrados mortos, em uma fazenda. Os animais seriam direcionados para um frigorífico e, após serem abatidos, a carne seria exportada para o Vietnã. A propriedade também foi interditada.

Conforme a promotora, o MP aguarda a finalização do inquérito da Polícia Civil sobre o caso de Euclides da Cunha e os relatórios da Adab e Inema, para ter mais indícios sobre a suspeita. Não há prazo para a entrega desses documentos.

De acordo com a promotora, algumas pessoas responsáveis pela fazenda já foram ouvidas, mas ainda não houve prisões. O caso segue sob investigação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário