7 de mar de 2017

Pintadas: Prefeitura nega acusação de professores e critica moção de repúdio

Redação Portal Cleriston Silva PCS

A prefeitura de Pintadas, na Bacia do Jacuípe, negou as críticas dos professores da rede municipal. Os docentes fizeram uma carta de repúdio ao prefeito Batista da Farmácia (DEM) e ao vice e secretário de educação, Carlos Alberto, em que relataram o não pagamento do terço de férias e do piso nacional, além de não conceder a progressão horizontal, garantida no plano de carreira da categoria. Em resposta, a prefeitura afirma que as críticas dos professores foram recebidas com “surpresa”.

Conforme a gestão do prefeito Batista da Farmácia (DEM), “não há um profissional do magistério com terço de férias atrasado, visto que completarão período aquisitivo só em julho de 2017” na cidade. A gestão se comprometeu a pagar o direito nos meses de abril e maio próximos. Quanto à progressão horizontal, a prefeitura declarou que a última vez que houve o direito concluído foi em julho de 2016, mas o pagamento teria sido negado pela gestão anterior. Já em relação ao piso nacional dos professores, a administração atual disse que a atualização está prevista para maio, o que atesta que não “há atraso” sobre o valor pago.

A gestão de Batista da Farmácia ainda negou que tenha feito perseguição a adversários. O caso poderia ser contestado pelo fato de no dia 20 de fevereiro ter sido realizada uma negociação com o prefeito Batista e o secretário de educação, Carlos Almeida, além de representantes do sindicato dos servidores públicos de Pintadas e dos professores, “onde ficaram esclarecidos e acordados todos os pontos de pauta mencionados na referida moção e selado compromisso de pagamento por parte da Prefeitura”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário