19 de abr de 2017

Jacobina: MP quer fim de vazamento de resíduos tóxicos em rios e mananciais

Redação Portal Cleriston Silva PCS

A Promotoria de Justiça em Jacobina, no Piemonte da Diamantina, recomendou nesta terça-feira (18) uma série de medidas emergenciais a serem adotados pela Jacobina Mineração e Comércio Ltda., a Embasa e ao Instituto do Meio Ambiente da Bahia (Inema) e a prefeitura para combater vazamentos na região. Segundo o Ministério Público da Bahia (MP-BA), foram detectados vazamento de líquidos da mineração de ouro na zona rural de Jacobina em áreas próximas a residências, sítios e praças públicas.

O vazamento atinge rios que preenchem as barragens que abastecem o município. Um dos rios atingidos é o Itapicuruzinho. A constatação foi realizada pelo MP durante inspeção ocorrida na Fazenda Itapicuru, onde está localizada a mineradora Jacobina Mineração e Comércio Ltda., cuja controladora é a multinacional Yamanda Gold Inc.

O órgão coletou amostras do solo e da água para análise da composição química e toxicidade. A mineradora deverá interromper, de forma imediata, o lançamento dos resíduos e disponibilizar, durante 15 dias, água potável para consumo humano e dos animais nas comunidades do Itapicuru, Canavieira e Jabuticaba.

Recomendou-se também a busca ativa de pessoas com sintomas de intoxicação. A Embasa deverá interromper imediatamente o fornecimento de água de mananciais afetados pela atividade de mineração, caso haja risco à saúde. A Embasa também deverá fazer testes na água.

Já ao Inema e a órgãos públicos municipais de Jacobina foi recomendada a intensificação da fiscalização, com a realização de coleta de amostras de solo, água e efluentes em pelo menos dez pontos georreferenciados para realização de análise técnica do material coletado.

A mineradora foi inspecionada na segunda-feira (17), após denúncias de cidadãos, com a morte de 23 animais. No local, foram encontrados um cachorro que acabara de morrer e outro “agonizando”. O promotor de Justiça Pablo Almeida afirmou que o cadáver do animal foi apreendido para realização de exames técnicos.

Ainda conforme o promotor, não é a primeira vez que ocorrem vazamentos na mineradora. “Em maio de 2008, por exemplo, ocorreu transbordamento de um dos tanques de resíduos finos da empresa, cujo material continha a substância cianeto, a qual atingiu o rio Itapicuruzinho”.

Um comentário:

  1. Absurdo que isso ainda aconteça,pode existir favorecimento de algumas entidades de controle, pode haver suborno, descaso público etc.

    ResponderExcluir