6 de mar de 2017

Prefeito de Ipirá tem campanha investigada por suposta compra de voto

Redação Portal Cleriston Silva PCS

A Justiça Eleitoral apura a denúncia de suposta compra de votos por parte da chapa vencedora das eleições para prefeito na cidade de Ipirá. A ação apresentada pelo então candidato derrotado, Aníbal Ramos Aragão, acusa o prefeito Marcelo Brandão (DEM), o vice José Ricardo e Delorme Antônio Martins Fernandes de uso indevido na emissora de rádio Ipirá FM e abuso de poder econômico.

Ainda segundo a denúncia de Aníbal Aragão, desde que Marcelo Brandão perdeu as eleições em 2012, o mesmo passou a usar a emissora de rádio para "enaltecer sua imagem e denegrir a honra e imagem de seus adversários". A acusação ainda diz que Brandão criou a "Caravana da Oposição" visando percorrer todo o município de Ipirá divulgando seu nome e mantendo-o em evidência a partir de meados de 2015. Alega, ainda, que foram distribuídas cestas básicas e outras benesses, dinheiro em espécie e doados terrenos em troca de votos dos beneficiados e seus familiares.

A acusação argumenta que um áudio já entregue à Justiça Eleitoral prova a compra de votos. A defesa do prefeito Marcelo Brandão, por sua vez, diz que há "falsidade" no material apresentado e pediu que a Justiça determine a realização de uma perícia para verificar autenticidade das gravações. A suspeita dos advogados do prefeito é que possam existir eventuais "edições, cortes, montagens, trucagens ou outra alteração".

Diante do pedido de perícia, a juíza titular da 662ª Zona Eleitoral, Luciana Braga Falcão Luna, adiou, em decisão expedida nesta segunda-feira (6), uma audiência que estava marcada para a próxima quarta (8). A magistrada afirmou que a prova pericial deve ser feita antes de ouvir as testemunhas.

Agora, Aníbal Aragão, autor da representação, tem cinco dias para se manifestar sobre o argumento de que o material pode ser falso, como sustentado pela defesa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário