5 de jan de 2017

Supostos documentos da prefeitura de Alagoinhas são queimados no fim da gestão

Redação Portal Cleriston Silva PCS

Após denúncias de que documentos da última gestão da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) de Alagoinhas foram queimados, o novo secretário da pasta, José Alfredo Menezes Filho, também denunciou o fato à Polícia Civil.

Em entrevista ao Jornal da Digital News, o secretário adiantou que solicitou a perícia, a fim de saber se os papéis queimados se referem a documentos relacionados aos programas executados pela Semas na gestão anterior. Alfredinho, como é mais conhecido, se uniu ao ex-vereador Radiovaldo e aos vereadores Thor de Ninha e Luciano Sérgio, além de pessoas inscritas no programa “Minha Casa, Minha Vida”, do Conjunto Linha Verde.

O grupo se encontrou na Câmara Municipal da cidade, nessa quarta-feira (4), para eleger os três representantes dos beneficiários que vão participar de uma comissão com o propósito de apurar as irregularidades constatadas pela Caixa Econômica Federal. A comissão será completa ainda com a participação de um representante do Ministério Público, um vereador e três técnicos do Semas.

Dentre as irregularidades a serem analisadas está a divergência no número de inscritos na lista divulgada pela gestão anterior, que conta com 674 nomes, e a lista entregue à Caixa, com 686 nomes, 12 a mais. Outra incoerência é a não diferenciação entre titulares e suplentes do programa. "O Condomínio da Calu tem 500 unidades. Isso significa que 186 famílias ficarão sem casas. Mas precisamos investigar caso a caso para saber quem atende e quem não atende os critérios de seleção do programa e entender o porquê da inclusão desses outros 12 nomes", explicou Alfredinho.

Na oportunidade, o secretário contou que o programa Bolsa Família está temporariamente fora do ar na cidade, mas adiantou que a situação será resolvida até a próxima terça-feira (10) quando as senhas da conta do programa serão substituídas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário