6 de jan de 2017

Homem que matou família em incêndio é preso em Feira: 'Não tinha motivo para fazer isso'

Redação Portal Cleriston Silva PCS

A polícia de Feira de Santana prendeu, na manhã desta sexta-feira (6), o autônomo Gilson de Jesus Moura, de 49 anos. Ele é acusado de trancar a casa e queimar o imóvel com a família dentro. A chacina deixou três crianças e duas adolescentes da mesma família mortas. Depois de ser detido, ele confessou o crime.

Gilson foi detido pela Polícia Militar às 7h, na localidade conhecida como Marajó, em uma área usada pela população como ponto para pegar transporte para outros municípios.

Segundo o coordenador de Polícia Civil de Feira, João Uzzum, ele havia deixado o carro, um Gol vermelho, na casa do irmão que fica no bairro Santo Antônio dos Prazeres, por volta das 4h. "A gente acredita que ele estava no ponto para fugir", explicou o delegado.

Ainda de acordo com Uzzum, a PM havia montado uma operação de cerco em várias áreas da cidade, principalmente trechos de saída, para tentar localizar Gilson. Nesta sexta, em uma dessas rondas, o suspeito foi localizado. A Justiça já havia decretado a prisão preventiva dele na quarta-feira (4). O autônomo foi encaminhado para o Complexo de Delegacias do Sobradinho.

Confissão - Segundo testemunhas, Gilson estava no Marajó se preparando para fugir para o município de Capim Grosso, a 164 km de Feira. Indignados com o crime, moradores planejam fazer um ato na porta da delegacia.

Em entrevista a uma rádio local, logo após ser detido, Gilson assumiu o crime e contou que não tinha motivos para ter matado as três filhas, a enteada e o neto de consideração. Veja relato:

"Eu não tenho palavras pra qualificar esse ato meu. É complicado. Em nenhum momento passou pela minha cabeça de fazer isso. Eu não tinha nenhum motivo, também porque eu tava super bem com minha família. Meus filhos me adoravam. A pequena só andava comigo no colo. Minha esposa também. A gente vivia super bem. Ela trabalhava de segunda a sexta na fábrica e no final de semana ela ficava me ajudando no comércio. Ficava acordada até 3h da manhã para me ajudar. Não havia nenhum motivo para eu cometer esse ato. Sinceramente, só pode ter sido um surto provocado pelo medicamento que eu tomava e, de repente, parei de tomar porque acabou".

O crime - O acusado jogou gasolina no primeiro quarto da casa onde morava com a família, trancou a porta e ateou fogo. Depois, entrou no quarto da mulher, com o galão de gasolina, e o jogou na mulher e na filha de 3 anos.

Morreram no ataque os três filhos de Gilson - Thaís de Jesus Moura, 13, Carlos Alexsandro de Jesus Moura, 9, e Xayane Vitória de Jesus Moura, 8 -, a enteada dele, Emily de Jesus Moura, 16, que estava grávida de cinco meses, e o filho dela, Enzo, de 1 ano e 11 meses.

A esposa e irmã dele, Ana Cristina de Jesus, 37, e a filha Ayla de Jesus Moura, 3, tiveram queimaduras de terceiro grau e foram transferidas para o Hospital Geral do Estado (HGE), em Salvador.

Nenhum comentário:

Postar um comentário