10 de dez de 2014

Falta quórum desde novembro na Câmara de Vereadores de Coité

Redação Portal Cleriston Silva PCS

Desde novembro que a Câmara de Vereadores de Conceição do Coité, distante 35 km de Serrinha, não consegue votar um projeto sequer. Motivo: falta de quórum nas sessões. Sem a oposição, que é maioria, diversos projetos importantes, como o Orçamento 2015 da prefeitura, ainda não foram votados.

O fato deixa o cenário político da cidade em alvoroço. Além da lei Orçamentária, na pauta, trancados, estão os projetos de entrega de título de cidadão coiteense ao prefeito Assis (PT), proposta da vereadora Analene (PT), a proposição de formação dos Conselhos Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável (CMDRS) e a criação da Semana da Família.

A celeuma se deu quando o vereador Araújo (PSD), atual vice-presidente e opositor do prefeito, foi eleito para chefiar a casa em sessão que contou com a participação só dos oposicionistas. Porém, o presidente da Casa, Betão Gordiano (PT), que havia suspendido a sessão, momentos antes da votação, orientado pelo regimento interno e o seu corpo jurídico, anulou o processo, o que provocou a ira do grupo.

Segundo uma fonte dos bastidores, foi estabelecida uma guerra fria entre os edis, principalmente pelo fato de o presidente Betão ter anulado o pleito. “Vai ser um guerra jurídica e administrativa. A falta do quórum, ontem, não foi em vão. Isso vai acontecer com frequência”, disse.

Em entrevista à rádio Sisal, os edis justificaram a posição. “Eu acredito que eles, querendo ou não, darão mão à palmatória. A população sabe que oito são mais do que sete e oito votaram a favor de uma nova diretoria da Câmara. Não adianta procurar armação. O que eles querem? Manipulação? Estão esperando que um vereador que votou mude o voto? Todos são homens e são dignos do que falam”, provocou o vereador Pedrinho de Sambaiba (Prona).

O vereador Lindo de Neusa (Prona), na emissora, ratificou o processo eleitoral anulado e afirmou que os seus pares esperam a validação para que os projetos possam ser apreciados. “Araújo obteve maioria dos votos para presidente, eu para vice e a eleita secretária, vereadora Elizane Cana Brasil (PSDB). Nós sentamos e decidimos que só iremos votar os projetos depois que o presidente validar a eleição que foi feita”, informou.

Otimista, o representante do distrito de Aroeira, vereador Elder Ramos (PP), lembrou que a articulação da chapa opositora é antiga, mas acredita em um consenso. “Eu acredito que o bom senso vai reinar. Para o bem da cidade vamos colocar Araújo na presidência (…). Ninguém manda em voto. Essa eleição de Araújo já foi preparada desde quando o presidente atual havia dito que não seria candidato”, discorreu.


Nenhum comentário:

Postar um comentário