11 de mai de 2013

Fábrica da Goob em Alagoinhas produzirá 15 milhões de litros por mês

Redação Portal Clériston Silva PCS

Foi oficialmente inaugurada ontem a Indústria São Miguel, fabricante dos refrigerantes peruanos Goob, localizada em Alagoinhas (a 110 km de Salvador). Novo polo na área das indústrias de bebidas, devido à qualidade da água na região, Alagoinhas ainda deve ganhar novas indústrias do setor.

O governador Jaques Wagner e o secretário da Indústria, Comércio e Mineração (SICM), James Correia, anunciaram ontem que a Coca-Cola também deve implantar uma fábrica na região e também estão avançadas as negociações com a empresa Central das Embalagens, hoje com matriz localizada em São Paulo e responsável pela fabricação de garrafas PET.

Essa é a intenção do governo estadual: tornar a cidade um polo da indústria de bebidas, porém com todas as empresas da cadeia, como produtoras de latinhas, outras embalagens PET, empresas de rótulos, etc. Hoje, já estão presentes na região empresas como a Brasil Kirin (antiga Schincariol), Latapack (responsável pela fabricação de latinhas) e a cervejaria Itaipava. “Dentre todos os investimentos das indústrias ligadas ao setor de bebidas, já somamos R$ 3 bilhões, incluso aí as distribuidoras dessas companhias. Só os investimentos em Alagoinhas ultrapassam R$ 1,3 bilhão”, acrescenta o secretário.

Hoje, a cadeia da indústria de bebidas se espalha por 10 cidades no entorno de Alagoinhas. Porém, ao ser questionado sobre o potencial da região para receber outras companhias, Correia diz que há um problema a ser enfrentado: a gestão do Aquífero São Sebastião, qque fornece a água para a fabricação das bebidas. “Temos que usar bem e preservar essa água. Para isso, o plano do governo é criar, em breve, um Comitê de Gestão do Aquífero São Sebastião”, revela.

Em seu discurso, o governador Jaques Wagner lembrou que as instalações dessas empresas no estado se deve aos fortes mercados consumidores baiano e nordestino.

“Enquanto o Brasil cresceu 0,9% no último ano, a Bahia cresceu 3,1%”, ponderou Wagner. O governador ainda comentou que a Nestlé expandiu sua fábrica em quatro vezes e a Pepsico duplicou sua produção.

Empresa contou com incentivo fiscal do município - Também presente na inauguração da fábrica, o presidente da Indústria São Miguel (ISM), Jorge Añanos, falou sobre a importância de pensar grande para trazer uma fábrica do porte da São Miguel para começar uma operação no Nordeste brasileiro. “Criamos uma fábrica de vanguarda. Uma das mais modernas plantas de bebidas em operação no Nordeste”, afirmou.

Mas a unidade não veio sem incentivos. O prefeito de Alagoinhas, Paulo Cézar Silva (PDT), disse que uma lei municipal permitiu a redução do Imposto Sobre Seviços (ISS) de 5% para 2,5% e ele também ofereceu isenção do IPTU em 10 anos para a instalação da ISM. “Abrimos mão de R$ 1,5 milhão. Porém, perdemos de um lado, mas ganhamos do outro”, diz Silva.

Segundo o prefeito, Alagoinhas aumentou seu PIB em quase 40% com a chegada das fábricas de bebidas e insumos, além de ter o comércio da região incrementado pela geração de empregos. “E ainda vamos receber uma escola técnica federal”, salientou.


A Coca-Cola também deve implantar uma fábrica na região

Nenhum comentário:

Postar um comentário