26 de out de 2018

"Frouxo e mentiroso", diz Haddad sobre Bolsonaro durante ato em Salvador

Redação Portal Cleriston Silva PCS

Durante ato em Salvador, o candidato a presidência da república, Fernando Haddad (PT), criticou seu adversário, Jair Bolsonaro (PSL). "Ele faz calúnias e usa dinheiro de empresário – caixa 2 – para evitar que a verdade prevaleça, mas o povo já está esperto e sabendo quem ele é – frouxo e mentiroso", afirmou o petista.

Em entrevista, o presidenciável também mostrou-se otimista em relação a uma possível virada (de votos) no segundo turno desta eleição, da qual aparece atrás de Bolsonaro nas últimas pesquisas. "Está tendo uma grande reviravolta. Começou por São Paulo – lá já passamos dos 50% e isso está acontecendo em todas as capitais", disse. "Tenho certeza que vamos chegar à vitória, no domingo", concluiu Haddad.

O petista criticou a decisão de Jair Bolsonaro de não participar de debates. "Eu espero que o povo brasileiro saiba se fazer respeitar contra uma pessoa que desrespeitou a democracia e o confronto de ideias. Na verdade, o que a gente não quer é o povo armado. A gente quer que os argumentos possam ser apresentados, para que as pessoas possam, de livre e espontânea vontade, julgar qual que é o melhor projeto para o país. Na base da violência, nós não vamos chegar a lugar nenhum", declarou Haddad.

"Nosso crescimento tem duas razões. O primeiro que o povo descobriu que ele [Bolsonaro] mente. Em segundo, descobriu que ele foge. Ninguém gosta de homem frouxo e mentiroso", acrescentou o candidato.

Ao lado do governador da Bahia, Rui Costa, Fernando Haddad chegou por volta das 16h30 a uma faculdade particular no bairro de Ondina, em Salvador, onde encontrou com familiares do mestre de capoeira baiano Moa do Katendê, assassinado na capital baiana após dizer que votava no PT.

Haddad também se encontrou com integrantes do movimento negro e respondeu a perguntas da imprensa. Em seguida, seguiu em carro aberto junto a uma caminhada pela orla entre os bairros de Ondina e Barra. A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, também acompanhou o candidato.

Um comentário: