22 de mai de 2017

Projeto ambiental para proteção da Mata Atlântica e Caatinga é lançado em Jacobina

Redação Portal Cleriston Silva PCS

Visando a criação de 50 novas RPPNs (Reservas Particulares do Patrimônio Natural), foi lançado em Jacobina, a 198 km de Serrinha, o programa Floresta Legal - Programa de Conservação em Terras Privadas, com foco nas regiões de Mata Atlântica e Caatinga do Estado da Bahia.

A iniciativa visa somar mais de 5 mil hectares em áreas protegidas dentro de terras privadas, nos próximos quatro anos. Além da Bahia, o programa deverá abranger áreas específicas em outros estados como Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Minas Gerais.

De acordo com o coordenador técnico do Programa, Eduardo Bruel Valente Rocha, os dois biomas abarcados pelo programa, Caatinga e Mata Atlântica, têm grande diversidade de espécies, muitas delas também endêmicas (de distribuição restrita e exclusiva) e ameaçadas. São áreas prioritárias para conservação desses ambientes o Corredor Central da Mata Atlântica, do sul da Bahia ao Espírito Santo, e a Chapada Diamantina, região de transição entre os dois biomas na região central da Bahia.

Os corredores são áreas de extrema importância biológica e sua conservação garante a sobrevivência de espécies endêmicas. A região onde está localizado o Corredor Central da Mata Atlântica, por exemplo, tem características próprias e apresenta alto índice de espécies que só ocorrem ali (chegando a 28%),além de ser habitat de diversas espécies ameaçadas de extinção.

Como boa parte dos remanescentes florestais do Corredor Central da Mata Atlântica e da Chapada Diamantina estão nas mãos de particulares, o foco do Programa é criar engajamento e apoio para que eles atuem na conservação destes biomas.

A iniciativa prioriza a conservação dos remanescentes da Mata Atlântica, bioma do qual restam menos de 14% de área original, por meio da conectividade destas áreas em possíveis corredores. A coordenação é do Instituto Ynamata e do Instituto Água Boa, com parceria do Ministério Público da Bahia e apoio da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário