23 de set de 2016

Bahia é considerado o estado que mais perigoso para as mulheres, diz pesquisa

Redação Portal Cleriston Silva PCS

Ser mulher na Bahia está tão perigoso quanto entrar numa jaula com um leão feroz. Isto porque o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), divulgou dados que apontam o estado baiano como o segundo do rancking dos lugares que mais praticam violência contra mulheres no Brasil.

A ultima pesquisa realizada em 2013, constatou que 17.000 mulheres morreram por conflitos de gênero, o chamado feminicídio, crime que acontece pelo simples fato de ser mulher. A Bahia representa 9,08% dos crimes, atrás do estado do Espirito Santo com 11,24% – que lidera o ranking – o nordeste brasileiro concentra a maioria das mortes de mulheres.

Recentemente o instituto Datafolha divulgou que um em cada três brasileiros concorda que a mulher vítima de estupro por causa das roupas que usam no dia-a-dia.

O levantamento ainda relatou que 85% das mulheres entrevistadas têm medo de sofrer alguma violência. O temor é mais frequente entre as adolescentes e mulheres mais jovens e entre as moradoras das regiões Norte e Nordeste do país.

Segundo a pesquisa, nove em cada dez mulheres que vivem no Nordeste afirmaram ter medo de sofrer violência sexual. No Norte, o percentual é de 87,5%.

A pesquisa revelou que a maioria dos agressores estão empregado e possui certa estabilidade financeira. Em contrapartida, as mulheres que procuram o atendimento possuem um grau de instrução mais elevado e independência financeira.

Dados comprovam que a maior parte dos homicídios acontece entre as mulheres negras. Pior, eles somaram um aumento de 54% em 10 anos, apontou o Mapa da Violência 2015. Sendo que 50,3% das mortes violentas de mulheres são cometidas por familiares e 33,2% por parceiros ou ex-parceiros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário