26 de nov de 2015

De irmão para irmão: Nilton Paixão é promovido e passa comando do 16º BPM/Serrinha para Gilson Paixão

Redação Portal Cleriston Silva PCS

Nilton Paixão concede entrevista exclusiva após anúncio
Nesta quinta-feira, 26, foi publicado no diário oficial do estado algumas alterações na Polícia Militar baiana, de acordo com determinação do governador Rui Costa. Entre os destaques está o Tenente Coronel Nilton Paixão Silva Santos, que deixa o comando do 16º Batalhão de Polícia Militar (BPM) de Serrinha e assume o comando geral do Batalhão de Polícia Rodoviária Estadual (PRE). O comandante nomeado para o 16º BPM é o Tenente Coronel Gilson Paixão Silva Santos, irmão do Tenente Coronel Nilton Paixão, e atualmente diretor do conjunto penal de Eunápolis (BA).

Em entrevista exclusiva à Rádio Continental AM, logo após o anúncio das mudanças, o novo comandante falou dos seus planos e metas. "Vamos continuar apostando no projeto polícia cidadã, vamos continuar intensificando o combate aos crimes violentos letais intencionais, esses que mais assombram a sociedade, vamos continuar investindo na segurança pública em todas as cidades da nossa área, porque o crime migra, e não adiante agente combater em uma cidade e a outra ficar descoberta. Portanto, nos temos que fazer um trabalho para que toda micro região se sinta segura. O nosso perfil será esse: trabalhar operacionalmente, apresentar projetos e continuar o trabalho que está sendo bem feito ai na região de Serrinha", disse.

Nilton Paixão também falou com exclusividade à equipe de jornalismo da Continental AM e disse que, em pouco mais de oito meses, a nova metodologia empregada motivou a trapa e reduziu o índice de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI). "Quando nós assumimos o Batalhão de Serrinha, nós estávamos com aproximadamente 35% no índice de CVLI, ou seja, muitas pessoas estavam morrendo em Serrinha e região, e nos conseguimos intensificar o policiamento, começamos realizar as blitzes e abordagens, aumentamos as ações policiais em mais de 50% em relação ao ano de 2014 e, principalmente, motivar a tropa, porque se a minha tropa não tiver bem eu jamais conseguirei fazer um bom trabalho para a comunidade. Então, meu primeiro passo foi reconhecer a tropa e humanizar também os nossos militares, que às vezes são criticados pela sociedade e nós procuramos dá essa segurança ao policial. Graças a Deus eles entenderam o meu propósito e vocês estão testemunhando como está sendo feito o policiamento na nossa região", destacou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário