22 de fev de 2018

Arena apagão: Jacuipense e Vitória tem jogo suspenso por falta de luz em Riachão do Jacuípe

Redação Portal Cleriston Silva PCS

A cada temporada, uma promessa de melhores condições de trabalho para os atletas no Baianão. Mas, o que se vê na prática são velhos e insistentes problemas. Nesta quarta-feira (21), mais uma situação vergonhosa foi destaque no estadual. O Estádio Eliel Martins, em Riachão do Jacuípe, foi palco de novos vexames.

Durante a partida entre Jacuipense e Vitória, pela 5ª rodada, a energia caiu aos 13 minutos, quando placar indicava 1 a 0 para o Rubro-Negro. Após mais de 20 minutos de paralisação, a luz foi religada, mas não adiantou. Um minuto depois, energia voltou a cair no Valfredão. O jogo era válido por partida atrasada da quinta rodada do Campeonato Baiano e será finalizado nesta quinta, 22, às 15h.

E a vergonha não ficou só nisso. Mais uma vez, o gramado do estádio não apresentou boas condições. Foi possível ver irregularidades no campo.

Mas, se a grama não estava ideal para a prática do futebol, estava para os sapos. Isso mesmo, sapos. A assessoria de imprensa do Vitória flagrou, e registrou com fotos, uma infestação do anfíbio. E agora, Federação Bahiana de Futebol, qual será a desculpa?

Enquanto houve luz - Enquanto a energia permitiu, o Vitória se saiu melhor e ficou na frente do placar com gol do lateral esquerdo Pedro Botelho. O atleta foi uma das muitas novidades no time. Vagner Mancini, que já não poderia contar com cinco atletas suspensos, aproveitou o jogo para testar alguns jogadores que haviam jogado pouco ou sequer haviam entrado em campo.

Quando Thiaguinho avançou pela ponta esquerda e tentou encobrir Caíque, aos dois minutos de jogo, parecia que a partida ia ser cheia de emoções, mas não foi bem assim.

As chances de gol foram poucas. O Vitória só foi responder aos treze minutos, em cobrança de falta que com Guilherme, em lance daqueles que a gente nunca sabe se o jogador tentou cruzar ou surpreender o goleiro. Fato é que Jordan precisou se esticar todo para mandar para escanteio.

Na cobrança, Pedro Botelho chegou a balançar a rede, mas a arbitragem já tinha parado o lance e marcado uma falta. Curiosamente, o mesmo Pedro Botelho abriria o placar do jogo. Antes disso, ele acertou a trave em boa triangulação pelo lado esquerdo do campo.

Aos 43 minutos, o gol, enfim, saiu. Guilherme fez boa jogada pela esquerda, chegou na linha de fundo e cruzou para Pedro Botelho, que testou para o fundo das redes. O lateral esquerdo foi o nome do primeiro tempo por participar dos principais lances do jogo, e poderia ter ido ainda melhor não fosse os muitos cruzamentos errados.

Na volta do intervalo, os donos da casa chegaram a balançar as redes, mas Brasão estava em posição irregular. O Jacuipense seguia em busca do empate, até que aos 14 minutos não houve mais luz para bola rolar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário