6 de jun de 2018

Número de homicídios de mulheres na BA teve aumento de 81,5% em 10 anos

Redação Portal Cleriston Silva PCS

O número de homicídios contra mulheres no estado da Bahia teve um aumento de 81,5% em dez anos, segundo dados do Atlas da Violência, pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e do Fórum Brasileiro de Segurança Pública divulgados nesta terça-feira (5). O levantamento traz números do período entre 2006 e 2016.

Em 2006, levando em consideração os dados absolutos, 243 mulheres foram mortas de forma violenta no estado e esse número saltou para 441 em 2016. Também houve aumento no número de mortes se comparar 2016 com 2015. Em um ano, o número de homicídios subiu de 382 para 441, variação de 15,4%.

A Bahia teve reduções seguidas nos números de mortes de mulheres nos anos de 2012 (437), 2013 (423), 2014 (385) e 2015 (382), mas as ocorrências voltaram a aumentar em 2016.

Caso seja levada em conta a taxa de homicídios de mulheres por 100 mil habitantes, a variação do aumento das ocorrências foi de 70,3% em dez anos. A taxa de mortes subiu de 3,3 em 2006 para 5,7 por 100 mil em 2016.

Considerando-se os dados de 2016 na Bahia, a taxa de homicídios é maior entre as mulheres negras (5,9) que entre as não negras (3,4).

A taxa de mortes de mulheres não negras, no entanto, foi a que mais aumentou em dez anos. De 2006 a 2016, subiu 148,4%. No mesmo período, a taxa de homicídios de mulheres negras aumentou 71,1% no estado.

Em todo o Brasil, em 2016, 4.645 mulheres foram assassinadas, o que representa uma taxa de 4,5 homicídios para cada 100 mil brasileiras. Em dez anos, observa-se um aumento de 6,4%.

Também em âmbito nacional, considerando-se os dados de 2016, a taxa de homicídios é maior entre as mulheres negras (5,3) que entre as não negras (3,1) – a diferença é de 71%. Em relação aos dez anos da série, a taxa de homicídios para cada 100 mil mulheres negras aumentou 15,4%, enquanto que entre as não negras houve queda de 8%.

Nenhum comentário:

Postar um comentário