10 de jul de 2017

Eleitores madrugam em fila para fazer biometria em Serrinha

Redação Portal Cleriiston Silva PCS






Milhares de eleitores das cidades de Barrocas, Biritinga e Serrinha, no Território do Sisal, passam a noite em filas gigantescas para tentar fazer o recadastramento biométrico na 150ª Zona Eleitoral. O Cartório Eleitoral de Serrinha é o único local disponibilizado pelo TRE para atender mais de 120 mil eleitores de toda a região.

Moradores relataram ao Portal Cleriston Silva que algumas pessoas chegam ao cartório ainda durante a madrugada e já nas primeiras horas da manhã a fila toma conta das ruas no entorno do Cartório Eleitoral, localizado na Rua Pedro Tiago, no bairro do Ginásio. Isso ocorre porque as fichas distribuídas para atendimento são limitadas e se esgotam minutos após a abertura do Cartório. Assim, quem necessita fazer a biometria precisa pernoitar nas calçadas e enfrentar os perigos da noite.

Vans e veículos que fazem transporte alternativo chegam de todos os povoados e cidades da região deixando eleitores logo cedo. O vendedor ambulante Amarildo José da Silva, de 49 anos, saiu da zona rural de Biritinga, distante 25 km de Serrinha. Ele conta que entrou na fila por volta das 5h30 e só foi atendido após quase cinco horas de espera. "A fila é muito grande e, além disso, o atendimento é lento. Agente vem pagando passagem. Acho que eles poderiam colocar um ponto para atender quem mora nas outras cidades. É humilhação isso aqui", protesta.

Um eleitor que preferiu não ter o nome revelado contou que um sobrinho de 25 anos chegou às 6h e não conseguiu fazer o cadastro biométrico. “Para conseguir atendimento aqui é um sufoco. Já aconteceu de um sobrinho meu chegar às 6h e mesmo assim não conseguir ficha. Por isso que dessa vez cheguei às 2h. Parece exagero, mas não é”, expõe.






Ele se queixa também da desorganização e da falta de segurança no local. “Poderiam organizar melhor o atendimento, disponibilizar mais profissionais, mas não, somos obrigados a passar a noite aqui, nessa rua deserta, se arriscando a ser até roubado”, completa.

A funcionária pública Cristiane de Jesus diz que a partir das 18h já há filas no local. “Eu hoje passei aqui no final da tarde e já havia muita gente na porta. Algumas deixam lugar marcado e voltam para casa, outras passam a noite toda aqui. Já teve caso de gente que desmaiou aqui", relata.

O recadastramento biométrico é o processo de digitalização das informações biométricas do eleitor e deve ser feito até o dia 31 de janeiro de 2018. No cadastramento são colhidas eletronicamente a assinatura, a foto (com medidas da face) e as impressões digitais do cidadão. Ele é realizado para dar mais segurança à identificação do eleitor no momento da votação.

Para ser atendido, o eleitor deverá portar um documento oficial com foto, a exemplo de RG, CNH, carteira profissional, passaporte, carteira de reservista ou certificado de alistamento militar original, além de um comprovante de residência recente. Aqueles que tiveram os dados cadastrais alterados, por, entre outros motivos, casamento ou separação, devem levar um documento comprobatório de alteração das informações.

O cidadão que não fizer o recadastramento dentro do prazo estabelecido pela Justiça Eleitoral terá o título cancelado. O Portal Cleriston Silva não conseguiu falar com o chefe da 150ª Zona Eleitoral.

Nenhum comentário:

Postar um comentário