21 de jul de 2017

Número de mortes por Aids tem redução de 7,2% desde 2010 na Bahia

Redação Portal Cleriston Silva PCS

O número de mortes por Aids na Bahia registrou uma queda de 7,2% desde 2010, segundo dados divulgados dados divulgados pela Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab). Em 2010, segundo os números, foram 537 mortes (354 homens e 183 mulheres). Já em 2016, o número caiu para 498 (314 homens e 184 mulheres).

O número de casos notificados no estado, desde 2010, também sofreu queda, de 36%. Na Bahia, desde o primeiro caso notificado, em 1984, até 2016, foram registrados 30.382 casos de Aids. Desses, 19.135 (62,9%) do sexo masculino e 11.247 (37%) do feminino. A taxa de detecção de Aids, por sua vez, apresenta tendência de crescimento. Observa-se, em 2010, uma taxa de 12,9 e em 2015 de 13,4 casos por 100 mil habitantes.

Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), que apresentou números sobre a Aids nesta quinta-feira (20), as mortes relacionadas à doença diminuíram no planeta, alcançando um milhão de pessoas no ano passado (2016), a metade do número registrado em 2005.

Para o Brasil, no entanto, sobrou um alerta: o total de novas infecções a cada ano no país aumentou em 3% entre 2010 e o ano passado, ao mesmo tempo em que, na média mundial, essa taxa sofreu contração de 11%. Os dados da Sesab foram divulgados no mesmo dia em que a ONU mostrou o Brasil com uma tendência inversa à verificada em todo o mundo em relação à Aids.

Apesar do alerta da ONU, a elevação no número de casos no país é considerada pequena, passando de 47 mil novos casos em 2010 para 48 mil em 2016. O Ministério da Saúde alegou que a grande população brasileira causa distorções na análise da ONU.

Ainda segundo a pasta, para efeitos de estudos e de comparação, seria melhor utilizar taxas de detecção da doença, obtidas pela divisão do número de casos pelo número de habitantes. Assim, ao contrário da divulgação da ONU, os dados epidemiológicos do Brasil indicariam a estabilização da epidemia, com viés de queda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário