14 de dez de 2010

Final de ano: perigo em algumas estradas da região de Serrinha

Todos os dias centenas de pessoas deixam a cidade de Serrinha e se arriscam nas estradas com destino a outros estados e municípios, utilizando o transporte rodoviário. A partir deste mês, o número de viagens tende a aumentar, devido ao período de alta estação. Com o aumento da procura por passagens de ônibus, crescem também os riscos nas rodovias baianas.

De janeiro a setembro, deste ano, 61 ônibus foram assaltados nas estradas, contabilizando mais de 1,5 mil vítimas desta prática criminosa, de acordo com dados da Associação de Empresas de Transporte Coletivo Rodoviário (Abemtro).

“Na grande maioria das vezes, o bandido entra no ônibus, no meio do caminho, como se fosse um passageiro e minutos depois anuncia o assalto, em outros casos ele se aproveita de algum obstáculo (como um quebra-molas, por exemplo) e dá redução da velocidade, para interceptar o ônibus e praticar o delito”, conta Edimar Ribeiro, diretor executivo da Abemtro, que cataloga as ocorrências desde 2007.

Após o primeiro ano de registros, Ribeiro notou um significativo aumento do número de casos, mas, segundo ele, as ocorrências estão em queda, desde o ano passado. “Em 2007, 149 ônibus foram assaltados, em rodovias, no ano seguinte, em 2008, aumentou para 168, mas, logo em seguida caiu para 86 assaltos, em 2009 e agora, 61, de janeiro a setembro de 2010”, ressalta.

Em relação ao mesmo período do ano passado, houve um aumento de 58, para 61 assaltos, o que, segundo ele, não é considerado um salto expressivo. “Estamos observando uma queda do número de casos, ano a ano e isso se deve a atuação da Polícia”, diz se referindo às polícias rodoviária Estadual (PRE) e Federal (PRF). “Quando identificamos quais são os locais mais propícios a este tipo de crime e a maneira como os assaltantes agem, conseguimos ajudar a Polícia a prender os bandidos”, diz. Seguir viagem em comboios e evitar parar em lugares ermos são algumas das estratégias utilizadas pelos motoristas, para driblar os assaltantes, mas, que nem sempre funcionam. “Eles sempre encontram uma forma de surpreender”, diz.

A rodovia mais visada pelos bandidos e que ainda registra o maior número de casos é a BR-324, seguida pela BR-110 e BR- 116 e RR-101. “Na 110, próximo à entrada da cidade de Sátiro Dias, onde tem um quebra-molas, e no trecho entre Santa Bárbara e o entroncamento de Tanquinho pela BR-116 norte, ocorrem muitos casos”, alerta. Na BA-409 (Serrinha/Conceição do Coité) e 120 (Retirolândia/Queimadas), os buracos, a falta de sinalização vertical e horizontal e o acostamento precário deixam a viagem mais perigosa.

Na BA-411 (Serrinha/Barrocas) as curvas acentuadas e os animais na pista exigem atenção redobrada dos motoristas.

O perigo nas estradas tem levado muitas empresas a instalarem equipamentos de seguranças dentro dos veículos. “Mais de 50% da frota já possui câmaras e outros mecanismos de segurança eletrônicos”, garante. A partir de dezembro, a procura por passagens deve aumentar no terminal rodoviário de Serrinha. O número de embarques deve aumentar até 20% nas festas de fim de ano.

Por conta da maior demanda, as polícias rodoviárias tendem a reforçar a segurança, nas estradas. O Batalhão de Polícia Rodoviária é a unidade especializada da Polícia Militar da Bahia que atua nas rodovias estaduais e federais delegadas ao Departamento de Infraestrutura e Transportes da Bahia (DERBA).

A PRE atua em mais de 14 mil quilômetros de rodovias, inclusive com um posto na BA-409, Serrinha/Conceição do Coité, com o emprego de seus 572 policiais militares, na prevenção de crimes, através das suas seis companhias rodoviárias, especialmente o TOR (Tático Ostensivo Rodoviário), que é uma companhia tática de enfrentamento a crimes, composta por 51 homens. Os policiais fazem abordagens com vistas à apreensão de armas, drogas e tráfico de pessoas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário