30 de abr de 2016

Santo Estêvão: Secretário foi morto por se negar a dar dinheiro após relação sexual

Redação Portal Cleriston Silva PCS

O Secretário de Educação do Município de Santo Estêvão, José Agnaldo Barreto de Almeida, 42 anos, foi morto por se negar a dar dinheiro a Walter da Silva Magalhães, vulgo "Iai-Iai", após relação sexual. As informações são do delegado João Uzzum, titular da 1ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Coorpin/Feira de Santana), que investigava o caso.

De acordo com o delegado, Walter confessou ser o autor do crime. Ele e José Agnaldo mantinham um relacionamento desde dezembro de 2015. Ainda conforme o delegado, o secretário de educação pagava ao acusado para que os encontros ocorressem. No dia do crime, Walter foi até a casa de José Agnaldo, a quem pediu dinheiro.

“Ele foi até a residência sob a promessa de ter relação e solicitou a quantia de R$ 2.000. A vítima disse que não tinha o dinheiro. Ele (Walter), é usuário de cocaína. Ele alegou estar nervoso e revoltado. Botou um pano na boca da vítima, amarrou braços e pernas com uma extensão. Depois que a vítima informou onde estava o dinheiro ele deu uma facada no pescoço e esperou a vítima morrer”, relatou o delegado.

Após matar o secretário, Walter chamou o seu irmão gêmeo, identificado como Walace da Silva Magalhães, vulgo "Febrônio", que colaborou na fuga. Além do dinheiro, eles levaram o carro da vítima, um Ford Ka, dois notbooks e aparelhos celulares.

“Depois da fuga eles abandonaram o carro atrás do cemitério da cidade e fugiram. Recebemos várias ligações através do Disk Denúncia de que eles poderiam estar em Lauro de Feiras, onde o pai mora, Esplanada ou Santo Antônio. Fomos em todos os locais e encontramos eles em Lauro de Freitas, em um endereço que não era a casa do pai deles”, disse Uzzum.

Walter e Walace foram presos na noite de quarta-feira (28) em Lauro de Freitas. Eles se preparavam para fugir no momento em que foram localizados e presos pela polícia. Ainda conforme o delegado, os acusados não possuíam passagem pela polícia. Eles foram encaminhados para o Presídio de Feira de Santana, onde ficarão presos temporariamente. O delegado informou que solicitará a prisão preventiva dos acusados. Walter responderá por latrocínio.

O Crime - José Agnaldo foi encontrado morto com as mãos amarradas dentro de sua própria casa na manhã do dia 4 de abril. Conforme a polícia, ele foi estrangulado e ferido com golpes de faca. Horas depois, o carro da vítima foi localizado pela polícia atrás de um cemitério do município. Os autores do crime haviam levado o carro do secretário e mais dois celulares.

José Agnaldo era formado em História pela Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) e mestre em Políticas Públicas, Gestão do Conhecimento e Desenvolvimento Regional pela Universidade do Estado da Bahia (Uneb). Na ocasião, o Departamento de Ciências Humanas e Filosofia da Uefs lamentou a morte do professor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário