31 de jan de 2012

Em assembléia, associação da Polícia Militar decreta greve por tempo indeterminado

Redação Portal Clériston Silva PCS

Em uma assembléia realizada na tarde desta terça-feira (31), os policiais militares e os bombeiros decidiram entrar em greve por tempo indeterminado. De acordo com informações do diretor jurídico da Associação de Policiais e Bombeiros do Estado da Bahia (Aspra), Fábio Brito, a greve atinge todo o estado. Cerca de 10 mil PMs participaram da decisão tomada em assembléia no Ginásio dos Aflitos, no Sindicato dos Bancários.

Neste momento, a categoria segue em caminhada para o Centro Administrativo da Bahia (CAB) para entregar a pauta de reivindicações na Governadoria. Apesar da decisão tomada pela Aspra, a assessoria do comando da PM questiona a a greve e diz que o órgão funciona normalmente, mesmo com o indicativo de paralisação.

Os policiais reivindicam o cumprimento da lei 7.145 de 1997, com pagamento imediato da GAP V, incorporação da GAP V ao soldo, regulamentação do pagamento de auxílio acidente, periculosidade e insalubridade, cumprimento da lei da anistia e a criação do código de ética, além da criação de uma comissão para discutir um plano de carreira para a categoria.

Os policiais e bombeiros reclamam que mesmo algumas questões já regulamentas pela lei não são cumpridas pelo estado.

Ontem, o comando da PM assegurou em nota que as negociações continuavam e os serviços da Polícia Militar seguiam de forma normal. Assinada pelo comandante-geral da PM, Alfredo Braga de Castro, a nota diz que a instituição tem confiança no governo, que conta com "responsabilidade e compromisso da tropa de garantir a paz dos seus familiares, amigos e a sociedade como um todo".

Nenhum comentário:

Postar um comentário