11 de out de 2017

Aposentados de Coração de Maria enfrentam fila para sacar pensão após mudanças do INSS

Redação Portal Cleriston Silva PCS

Os aposentados da cidade de Coração de Maria, cidade a cerca de 94 km de Serrinha, enfrentaram longa fila na porta da Agência da Caixa Econômica Federal da cidade nesta terça-feira (10). Isso ocorreu porque o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) fez alterações nos locais de pagamento. Muitos pensionistas esperaram por cerca de sete horas para atendimento. Alguns deles pegaram até senha, mas o atendimento está previsto apenas para semana que vem.

A idosa Junília Leal foi uma das pensionistas que aguardaram por cerca sete horas para sacar a aposentadoria. Debaixo de sol, ela resolveu sentar na calçada perto da agência. "Não aguentei ficar em pé, é dor nas costas coluna", disse.

O problema de atendimento na Caixa começou após a agência do Banco do Brasil ser explodida por bandidos no inídio do ano. Durante esse tempo, os pensionistas estavam recebendo o benefício em uma agência do mesmo banco, mas só que em Feira de Santana, cidade a cerca de 40 km de Coração de Maria. Contudo, o INSS transferiu 1500 contas para a agência da Caixa no município, que não tem estrutura para atender a demanda.

Por meio de nota, a Caixa Econômica Federal informou, que recebeu uma demanda de novos pagamentos de pensionistas do INSS sem aviso prévio, mas que já está adotando medidas para agilizar e melhorar o atendimento, como o reforço da equipe de atendimento.

Já o INSS disse, também em nota, que os segurados do instituto foram comunicados através de carta, mas a greve dos correios atrapalhou a divulgação em tempo hábil, principalmente para os segurado do interior.

Com relação à retomada do funcionamento da agência do Banco do Brasil, a direção da instituição informou que os clientes de Coração de Maria serão transferidos para a unidade próxima de Conceição do Jacuípe, a cerca de 14 km do município. A direção disse ainda que as ocorrências criminosas têm levado ao contingenciamento ou suspensão do atendimento em alguns locais.

Enquanto a situação não é resolvida os aposentados enfrentam a enorme fila. Como é o caso da dona de casa Marina de Jesus que foi pela terceira vez à agência e voltou para casa sem conseguir sacar a aposentadoria do marido. "Está sendo muito humilhante. Eu acho que poderia colocar mais pessoas para atender. A gente é aposentado e vive disso [da pensão], lá em casa está vazio, não tem nada", revelou.

Assim como Marina, o lavrador Urbano dos Santos enfrenta o mesmo problema. "É um absurdo. Estamos devendo o mercadinho, a energia, é gás para pagar", lamentou. (G1/Bahia)

Nenhum comentário:

Postar um comentário