8 de jun de 2010

Depois de oito meses comandante do 16º BPM/Serrinha é exonerado

A população de Serrinha recebeu com revolta a notícia da exoneração do comandante do 16º Batalhão da Polícia Militar (BPM) de Serrinha Ten. Cel. Manuel Amâncio de Souza Neto.

O governador Jaques Wagner através da secretaria de segurança pública do estado da Bahia (SSP-BA) decidiu exonerar na manhã desta terça-feira (8) o comandante do 16º BPM, coronel Manoel Amâncio de Souza Neto. Ainda não foi divulgado o motivo da exoneração, mas a sua saída já estava prevista há mais de dois meses.

Várias vezes elogiado pelo governador Jaques Wagner, Souza Neto, disse durante entrevista na Rádio Continental que já estava esperando a decisão porque as ações da polícia estavam incomodando alguns políticos da região. “Apesar de desagradar a alguns eu estou apenas cumprindo o meu papel. Se eu estivesse liberando veículos e soltando delinqüentes para atender pedidos e recadinhos de políticos por certo eles estavam satisfeitos, mais eu não estou aqui para prevaricar porque entendo que a polícia deve ser imparcial”, disse.

Ele assumiu o comando do 16º BPM no dia 05/11/2009 substituindo o Cel. Geová da Silva Borges.

Souza Neto que é bacharel em Segurança Pública e pós-graduado em Direito Civil, ficou conhecido no sertão baiano por desenvolver ações de combate ao tráfico de drogas com operações e informações privilegiadas do serviço de inteligência, retirou de circulação alguns dos traficantes que agiam nas pequenas cidades. Dinamizou também o policiamento ostensivo motorizado e a pé diminuindo a onda de assaltos, roubos e agressões, com um declínio vigoroso da violência.

Através de ações pontuais reduziu significativamente o tráfego de veículos irregulares e conseguiu recuperar várias motocicletas roubadas, além promover uma campanha preventiva, orientando condutores a se regularizarem junto aos órgãos de trânsito, diminuindo o número de acidentes automobilísticos.

Marta da Silva Oliveira, 42 anos, estudante de Geografia da UNEB, que mora na Av. Lomanto Junior, Bairro da Vaquejada, lamentou a saída do comandante. “Ele estava dando uma cara nova à cidade. Acho que a nossa região perde um homem de respeito, bom caráter e acima de tudo um agente da lei responsável que não aceitou ingerência política na polícia”, concluiu.

Souza Neto vai assumir a corregedoria da Polícia Militar em Salvador. Clovis Santana Vitor será o novo comandante.

3 comentários:

  1. ISSO É UMA VERGONHA PARA NOSSA REGIÃO, OS POLITICOS CANALHAS E COVARDES QUE QUEREM SE REELEGEREM COM FAVORSINHOS QUE AGEM DESSA MANEIRA. POIS O COMANDANTE VINHA DESEMPENHANDO UM EXCELENTE TRABALHO EM NOSSA REGIÃO E NÓS NÃO NOS CALAR DIANTE DESSA SITUAÇÃO GOVERNADOR REPENSE O QUE O SENHOR FEZ COM A REGIÃO DO 16º BPM FICOU AO LEU TANTO TEMPO QUANDO CHEGA ALGUEM PARA COLOCAR A CASA EM ORDEM É EXONERADO?

    ResponderExcluir
  2. Dêem a resposta ao governador em outubro próximo.
    Ele não quer voto? votem no outro.

    ResponderExcluir
  3. Se o Coronel Manuel Amâncio, fosse daqueles comandantes bajuladores de políticos, com certeza ficaria no 16º Batalhão por muito tempo, mas, como ele não se dobrou aos políticos da região do sisal, foi exonerado. Ele mostrou como a polícia deve trabalhar, ou seja, com transparência e imparcialidade, não importando se o transgressor é rico ou pobre, negro ou branco. Ele estava apenas fazendo com que a lei fosse cumprida. Mas, isso incomodou os políticos e politiqueiros da região, pois não estavam podendo liberar seus apadrinhados e puxa-sacos.
    Vamos ver se o futuro comandante vai atender aos pedidos desses políticos oportunistas.

    ResponderExcluir